Veja personagens que, como Beiçola e Dona Jura, eram comerciantes na TV

Publicado há 3 anos
Por João Paulo Reis
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Neste domingo (16) foi comemorado o Dia do Comerciante. A data foi instituída em 1953, em homenagem a José Maria da Silva Lisboa, que nasceu no dia 16 de Julho e foi o primeiro brasileiro a publicar um livro sobre a economia política do país. Lisboa teve grande influência sobre a carta régia, tendo sido ele a fomentar em Dom João VI, a abertura dos portos brasileiros para melhoria do comércio internacional. Na televisão, não faltam personagens que nasceram com o dom de comercializar algo, seja no mercado formal, informal, simples ou de luxo.

Confira e relembre personagens da telinha que eram comerciantes:

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Leia também: Despretensiosa e mais interessante que Vade Retro, A Fórmula é uma grata surpresa

Dona Jura de O clone (Divulgação)

Dona Jura

Personagem da novela O Clone, e simpática dona de um bar, Dona Jura (Solange Couto) além de ótima comerciante era também excelente quituteira. Explosiva, ela só perdia o foco mesmo quando o assunto era o amor. Tião (Antonio Pitanga), seu pretendente, era um malandro apaixonado, o único capaz de passar a perna na alegre senhora e tirar dela o pulso firme nos negócios.

Francisco Cuoco em Cobras & Lagartos (Divulgação/ TV Globo)

Omar Pasquim

Outro comerciante nato era Omar Pasquim (Francisco Cuoco), de Cobras & Lagartos. Ele aproveitou as oportunidades do mercado e construiu a Luxus, uma espécie de loja de departamento voltada para o consumo de alto luxo e com público-alvo classe A. Empresário bem sucedido, ele pretendia após a sua morte deixar todo o seu legado para a sobrinha Bel (Mariana Ximenes).

Isabela Garcia (Divulgação/ TV Globo)

Eliete

O comércio informal também apareceu nas novelas. A personagem Eliete (Isabela Garcia), de Celebridade era a melhor amiga da protagonista Maria Clara (Malu Mader), e se orgulhava muito de sua profissão: sacoleira. A moça rejeitava qualquer ajuda financeira da amiga rica, mas fazia questão de lhe apresentar cada um dos produtos que adquiria no Paraguai.

Heloisa Périssé em Avenida Brasil (Divulgação/ TV Globo)

Monalisa

Como o comércio não se destina apenas a venda de produtos, mas também de serviços, temos aqui Monalisa (Heloísa Périssé), de Avenida Brasil. Em sociedade com seu ex-namorado, Tufão (Murilo Benício), a moça construiu seu próprio salão de beleza, e passou a oferecer diversos serviços para embelezar as mulheres do bairro do Divino.

Giulia Gam e José Mayer em A Favorita (Divulgação/ TV Globo)

Diva

Em A Favorita, Diva (Giulia Gam) ficou desaparecida por muitos anos. A mulher que era casada com o roqueiro Augusto César (José Mayer), era a principal suspeita de comandar o comércio ilegal de armas que entravam de forma clandestina no Brasil.

Marcos Oliveira em A Grande Família (Divulgação/ TV Globo)

Beiçola

Impossível falar de comércio sem se lembrar da pastelaria do Beicola (Marcos Oliveira) em A Grande Família. O dono do local onde a maioria dos personagens transitava era apaixonado por Nenê (Marieta Severo), e mantinha uma estranha relação com a falecida mãe.

Sergio Abreu em Malhação (Divulgação/ TV Globo)

Beto

Em Malhação, Beto (Sérgio Abreu) era o dono do Gigabyte Café, bar e lanchonete cenário da novela por muitos anos. Filho de comerciantes, Beto comprou o local que antes pertencia a Mocotó (André Marques) com o nome de Guacamole, e só deu as caras meses depois, quando o gerente do ponto de encontro dos alunos do Múltipla Escolha, Touro (Roger Gobeth), precisou dele. Com pulso firme para vendas, o problema de Beto era somente lidar com sua sogra, Dona Vilma (Bia Montez), que herdou o bar posteriormente.

Halim (Antonio Calloni) em cena de Dois Irmãos (Divulgação/ TV Globo)

Halim

De origem libanesa, Halim (Bruno Anacleto/ Antonio Calloni/ Antonio Fagundes), de Dois Irmãos, era um mascate quando conheceu Zana (Gabriella Mustafá/ Juliana Paes/ Eliane Giardini). O rapaz era um bom comerciante e tinha excelente lábia para lidar com os negócios, tanto que conseguiu levar uma vida confortável e manter toda a família apenas com os lucros de sua loja de tecidos no centro de Manaus.

Regina Duarte em Rainha da Sucata (Divulgação/ TV Globo)

Maria do Carmo

Comerciante de respeito, e com faro para os negócios, Maria do Carmo (Regina Duarte) ganhou o apelido de Rainha da Sucata, nome da novela exibida em 1990. De família humilde, ela tinha o sonho de ascender socialmente e morar nos Jardins, região nobre de São Paulo, e conseguiu enriquecer através dos negócios de um ferro-velho que comandava junto com seu pai, Onofre (Lima Duarte).

Lembrou de mais algum? Manda pra gente aqui nos comentários.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio