“Um início extremamente polêmico e difícil”, declara Marcos Mion sobre o extinto Legendários

Publicado há 2 anos
Por Cadu Safner
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Uma das principais estrelas da televisão brasileira, Marcos Mion, está prestes a completar 20 anos de carreira. O contratado da RecordTV segue conquistando público e alavancando a audiência da emissora a cada projeto novo. Em 2018 o seu grande desafio foi pegar para si a responsabilidade de comandar um dos realities mais consagrados e aguardado da TV – A Fazenda. Mion conseguiu dar um gás e já chegou à atração com um saldo positivo com o público.

Veja também: A Fazenda 10: Conheça detalhes da área externa do reality e como tudo funciona

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Quando o assunto é reality, o apresentador já é experiente. Seu currículo, por exemplo, conta com Ídolos e A Casa. Com a atração rural em ascensão na grade da emissora, Marcos Mion revelou que antes mesmo de ser convidado para sua apresentação, já existia uma vontade do público para que isso acontecesse. Confira:

“Muita gente quis que esse casamento entre eu e A Fazenda acontecesse”, afirma o apresentador

“Para quem acompanhou o inicio da minha carreira na TV aberta com o Legendários. Foi um início extremamente polêmico e difícil. Com muito trabalho conseguimos sobreviver às  críticas. Ter a oportunidade de começar um projeto como A Fazenda com a grande maioria a favor, com críticas positivas e com todo mundo querendo que esse casamento entre eu e A Fazenda acontecesse, para mim foi uma novidade inacreditável.”, afirma o apresentador.

Marcos Mion ainda disse que os anos de Vale A Pena Ver Direito, serviu como uma faculdade para se formar no tema Fazenda. “Talvez eu tenha assistido mais A Fazenda que todos os outros apresentadores do programa. As críticas eu deixo para os jornalistas. Eu estou me divertindo demais. Não é um programa meu, é um formato, eu tendo dentro dos espaços que me cabem e imprimir minha personalidade e o ritmo que eu acho que o jogo tem que ter. Uma coisa que eu acho que a gente conseguiu realizar muito bem é essa divisão. Eu sou um apresentador quando estou falando com eles, e quando aquilo fecha, existe eu com o público. Eu sou cúmplice junto com o público. Eu estou junto com o público, vendo, me divertindo, chocado e descobrindo as coisas junto com vocês.”

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio