“Tudo que ele podia fazer pelo samba e por cada um, ele já fez. Agora é viver para ele”, diz filho de Arlindo Cruz no Ritmo Brasil

Publicado há 2 anos
Por João Paulo Reis
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Neste sábado (17), Arlindinho, filho do sambista Arlindo Cruz, é o convidado do Ritmo Brasil, na RedeTV!. Ele comenta com Faa Morena sobre a melhora do pai, após sofrer um AVC em março do ano passado e voltar para a casa há quatro meses, depois de um longo período de internação. “Ele entende o que está acontecendo. É dia após dia. Em alguns ele interage melhor, em outros ele fica um pouco triste e interage menos, mas está conseguindo”, conta.

Cantor e compositor como o pai, Arlindinho fala sobre os planos para o futuro de Arlindo Cruz e suas obras na música. “Tudo que ele podia fazer pelo samba, e acho que por cada um, ele já fez. Agora é viver para ele, curtir, ver suas obras sendo regravadas e, as inéditas, apresentadas por outros artistas. Tudo o que ele fez não vai morrer, será eterno e acho que [agora] é ele voltar para entender que o mundo do samba o ama e que ele é um artista incrível”, afirma.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Leia também: Paolla Oliveira posa pleníssima durante passeio de barco

No Ritmo Brasil, Arlindinho fala sobre o pai fora dos palcos

Arlindinho comemora também passos importantes na recuperação do músico, que completou 60 anos em setembro. “O médico cancelou a fono [fonoaudióloga]. Falou que ele não teria condições de voltar a falar ou mexer a boca e mandou cancelar. Minha mãe que negou: ‘Não, mas não tem a possibilidade mínima? Ele vai voltar a falar, sim, ele vai abrir a boca, ele vai comer’. Então, ele voltou a mexer a boca e o médico pediu desculpas”, relata.

Após cantar ‘Chegamos ao Fim’, um dos sucessos de Arlindo, Arlindinho expressa emocionado seu carinho e diz como é o cantor fora dos palcos.”O sambista eu deixo pro samba falar. Vou falar do pai. Ele é amigo e tudo o que eu peço para ele, [ele faz] até hoje. Falei: ‘Pai, olha pra mim, me dá um sorriso’. Ele faz uma força, mexe a boca e interage. O que ele pode fazer por mim hoje é dar um sorriso, apertar a minha mão, piscar. Meu pai é amor e é isso que está fazendo ele se recuperar, o amor que as pessoas têm por ele e daqui a pouco ele está aí de volta”, diz. Ainda no programa, Faa Morena recebe o grupo Vou pro Sereno e a atriz Carla Fioroni.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio