Torcida pra dar errado, respeito de Silvio Santos e nova filha: as verdades de Neila Medeiros – Parte Final

Publicado há 3 anos
Por Gabriel Vaquer
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Errado. Adjetivo. Que contém erros. Que não segue a direção certa ou apropriada. Que demonstra um mau comportamento. Que não é adequado nem conveniente; que é resultado de erro, de equívoco.

Na terceira e última parte de suas verdades, Neila Medeiros fala muito da experiência de SBT Notícias. Mas ela revela algo chocante para quem vê a TV de fora – não tanto para quem conhece muito bem os bastidores da televisão brasileira. Dentro do SBT, a torcida para que o SBT Notícias, que apresentou por 43 dias e saiu do ar por falta de Ibope, era grande.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Veja mais 

Aprendizado em São Paulo e os conselhos de mãe: as verdades de Neila Medeiros – Parte 1 

Críticas aos sites de TV, jornalismo e Silvio Santos: as verdades de Neila Medeiros – Parte 2

No pôquer, quando um jogador decide arriscar todas as suas fichas, ele faz um all in – se ele perder, sai do jogo. Se ele vencer, renasce das cinzas, como a fênix. Se perder, além de ficar sem dinheiro, perde a chance da vida. Era assim que Neila se sentia quando assumiu o SBT Notícias para enfrentar Datena e Marcelo Rezende – como diria a tal chamada clássica.

“Quando eu fui descobrindo a equipe do SBT Notícias, eu senti um orgulho tão grande que você não imagina, apesar de todo mundo me dizer que o jornal ia vingar. As pessoas lá na emissora falavam isso. Era a jogada da minha vida. Eu tava abandonando tudo que eu tinha aqui em Brasília, pra começar lá. Eu fui jogada na fogueira, entendeu? Não tinha escolha e tinha que estar feliz com tudo isso, porque quem tinha essa oportunidade? Muitas pessoas que estava lá faz anos não tinham um programa para si. Muita gente queria dar certo, mesmo com o Silvio falando que ia dar certo, mas as pessoas não queriam saber e torciam para não dar certo. Tinha gente que vestia a camisa, e tinha gente que não. E eu falo de forma geral, não da minha equipe, porque minha equipe vestia a camisa demais. Tinha gente que trabalhou na Globo, da Record, do SBT, gente que fechou o Jornal Nacional…. Eu só pensava: “Gente, eu tô trabalhando com gente tão f**…”, e eu via neguinho detonando a gente”, relembra Neila. 

Neila foi para São Paulo por causa de Silvio Santos, que um dia, viu seu trabalho e mandou buscá-la em Brasília. Até hoje, muita gente se pergunta com ele fez isso. Neila, por sorte, teve acesso direto com Silvio algumas vezes, e as lembranças são as melhores possíveis para uma profissional como ela.

Neila Medeiros sorri ao lembrar de passagem em SP (Imagens: Marx Walter)

As dúvidas que todos têm em relação ao Silvio são muitas, mas Neila esclarece: Silvio é uma pessoa fechada, com acesso a poucas pessoas e tem sua vida muito bem estruturada. É bem curioso pensar que, num circuito tão restrito, ela foi descoberta pelo maior apresentador e comunicador da história da TV brasileira.

“As ideias que ele tem no SBT não é uma coisa de poder geral. É uma coisa muito fechada. Ele tem acesso à poucas pessoas, ele tem a rotina dele. Quando o Silvio Santos chega, ninguém vai falar com ele, ele não fala com ninguém. Ninguém vai pedir nada ou perguntar nada. Ele gosta de ir para o camarim dele, ele se arruma, fala com a platéia, ele estrutura todo o programa dele. Ele fala com todo mundo na platéia… Ele tem um respeito que muito artista novo hoje não sabe o que significa. Ele é uma entidade. Qualquer lugar do Brasil, se o cara abre a porta e dá de cara com o Silvio Santos, qualquer um fica impactado. Depois que ele faz o programa dele, as pessoas perguntas o que querem, querem saber se ele pode receber ou não. Ele tem que autorizar você ser recebido ou não. Sobre essa coisa de achar, eu não sei. Algumas vezes, uma filha que mostra, ele vê na internet… Ele tem uma cabeça muito genial. Se ele viu algo em mim assim, quem sou eu pra acreditar? Lógico que eu fiquei super assustada, porque eu sabia que não dependia só de mim. Na minha cabeça, eu sabia que era o mais complicado, mas que não tinha outro caminho. Tava além do meu poder. Mas eu vim saber que foi ele que quis que eu fosse muito tempo depois. Tem pessoas muito mais inacessíveis no SBT do que ele. Quando estive com ele, ele foi um lorde. Toda vez que ele me via, ele brincava, fazia aquele negócio: ‘Qual seu nome? No Duro? É você mesmo?’. Ele é um cara visionário”, explica a apresentadora. 

Voltar para a capital federal não foi Neila que pediu, e ela já revelou isso. Em 2016, seu retorno provocou polêmica, já que teria causado alguma revolta em colegas. Neila comenta isso sem medo, mas sempre relembrando que nada da decisão de seu retorno esteve em sua alçada.

O grande barato da jornalista é que ela rejeita o coitadismo para falar da situação de sua saída de São Paulo. Não tem nada de tristeza. Tem entendimento da momento e do que aconteceu – tanto da decisão de São Paulo, quanto de um possível problema com quem estava no SBT Brasília na época.

“Eu poderia pensar de milhares de formas. ‘Ah, eu fui injustiçada, mimimi…’. Eu não penso nada disso. Ela sempre foi crescente. Eu acredito muito na minha fé. Eu nunca andei pra trás, eu sempre andei pra frente. Eu poderia ter pensado na época que saí de São Paulo que eu estava andando pra trás. No início, foi muito difícil em muitos aspectos, pela reorganização aqui, pelos colegas que tiveram que mudar de lugar. Eu tive pessoas muito legais, que conversaram comigo, que me ajudaram nesse momento”, comentou Neila Medeiros. 

Qualidade de vida, é isso que Neila Medeiros busca hoje. Não só ela, mas boa parte dos brasileiros. Mas Neila busca isso num ponto que abdicou da vontade de 9 em cada 10 jornalistas que querem trabalhar na televisão desejam: estar em rede nacional e trabalhar em São Paulo.

Como exemplo disso, ela cita o nascimento de sua nova filha, programado para os próximos dias. A pequena Lis está prevista para nascer nos próximos dias, e vai encontrar uma mamãe muito mais preocupada com ela do que com o trabalho.

Neila Medeiros conta suas verdades ao Observatório da Televisão (Imagens: Marx Walter)

“Minha preocupação hoje não é estar em rede nacional. Eu passei dez anos da minha vida querendo estar em rede nacional. O mais importante pra mim hoje é ter qualidade de vida. O mais importante pra mim é ter qualidade de vida. Pra mim, o mais importante é fazer jornalismo. E hoje, eu faço jornalismo. Eu saio daqui e, em meia hora, 20 minutos, eu estou na minha casa. Eu posso levar minhas filhas pra escola, eu posso descansar, eu posso ter uma nova filha. Eu posso ver gente nova crescer. Eu posso ver minha equipe de produção. Eu fico com os olhos brilhando quando vejo que o jornal ficou do caramba e que fez o jornal foi uma menina que veio lá da Asa Norte, e teve uma sacada. Isso me fascina muito mais do que estar em rede nacional”, conta a jornalista. 

Veja também

Repórter da Globo no Maranhão é vítima de sequestro relâmpago em São Luís

Neila confiou para contar as suas verdades, e a única coisa que desejamos para Neila é que sua vida seja de saúde e sucesso ainda mais daqui para frente. Com certeza, a pequena Lis vai ter muito orgulho de sua mãe.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio