Mais do que você gosta.
Assine o Star+
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
Rainha dos baixinhos

Tia Perucas em Carinha de Anjo, Priscila Sol defende novelas infantis: “Todo ator deveria fazer”

Atriz é destaque como Estefânia na novela do SBT e da Netflix

Publicado em 13/01/2022
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio

A nova versão de Carinha de Anjo (2016), exibido na Netflix, está entre os 10 programas mais assistidos da plataforma no Brasil nesta semana, além de ser uma das mais vistas no mundo, sem o selo ‘original’ Netflix. Um dos motivos se deve ao período de férias escolares, em que as famílias têm de lidar com crianças em casa, e à carência de produções ao público infanto-juvenil.

O folhetim conta a história de Dulce Maria (Lorena Queiroz), uma menina que foi criada dos três aos cinco anos por freiras de um colégio interno numa cidade do interior. Neste período, a pequena contava com o carinho e os cuidados de Estefânia, a quem apelidou de “Tia Perucas”, porque a personagem usa perucas coloridas e compõe todo o visual de acordo com a cor da peruca, da cabeça aos pés.

Continua depois da publicidade
Não foi possível carregar anúncio

A atriz que interpreta Estefânia é Priscila Sol. Ela acredita que, assim como sua personagem, muitos outros intérpretes levam ensinamentos subliminares às crianças. “É interessante como a ‘tia Perucas’, por exemplo, mostra a importância de a mulher acreditar na própria intuição, já que toda vez que ela a usa, as coisas dão certo. Com isso, as meninas aprendem sobre se escutarem, sobre acreditarem na potência feminina”, afirma.

Priscila acredita que novelas infantis têm poder de transformação, já que transmitem positividade e podem incentivar a mudança ou até modificar o universo de muitas pessoas, não só o do público infantil, mas o de vários tipos de famílias. “Na minha opinião, todo ator/atriz deveria fazer ao menos uma novela infantil. É muito transformador, mesmo, apesar de ainda sofrer preconceito em alguns nichos. Os canais abertos deveriam investir mais nessas produções infanto-juvenis, principalmente porque a maior parte do Brasil não tem acesso à internet, muito menos a streamings”, comenta.  

Além da personagem dela, a série conta com momentos divertidos da protagonista que faz perguntas curiosas e surpreendentes. Dulce Maria é a única filha de Gustavo Lários (Carlo Porto), que a deixou no orfanato após acidente de carro em que a mulher morreu. A trama começa quando ele se arrepende de ter deixado a filha no local e volta à cidade do interior.

Publicidade
Não foi possível carregar anúncio

Deixe o seu comentário

Em Alta

Carregando...

Erro ao carregar conteúdo.

Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
Publicidade
Posting....