Tânia Mara revela paixão platônica por Celso Portiolli: “Galã do SBT”

Publicado há um ano
Por Felipe Brandão
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A cantora Tânia Mara fez revelações inéditas sobre a relação com o marido, o diretor Jayme Monjardim, na edição desta quinta-feira (12) do programa Sensacional, da RedeTV!. Ela também comentou o início da carreira no SBT, em 1998, como apresentadora do programa Fantasia.

Na conversa com Daniela Albuquerque, a entrevistada afirmou ter vivido alguns ‘milagres’ na vida – e um deles foi estrear na emissora de Silvio Santos. “Minha mãe viu um anúncio na televisão, viu que estavam selecionando cantoras para um programa e falei: ’É agora. É a minha chance’”, recordou.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

No mesmo dia da seletiva, Tânia e a mãe não tinham dinheiro para irem embora, portanto decidiram aguardar o resultado nos corredores do SBT. “Abre uma porta e o diretor Paulo Santoro disse: ’Você não é a menina que é cantora? Estava procurando sua ficha, mas não achei. Você tinha que estar aqui mesmo. Você foi selecionada’. Alguém tinha rasgado minha ficha, que depois foi encontrada no lixo”,  completou.

Crush em Portiolli

Devido à notoriedade como apresentadora do Fantasia e com o reconhecimento do público aumentando cada vez mais, Tânia pôde finalmente comprar um carro usado – – ela utilizava transporte público para chegar ao SBT. “Eu era a única apresentadora que não tinha carro. Tinha meu nome com a estrelinha, mas a vaga ficava sempre vazia. Um dia tive que descer para empurrar o carro na subida do SBT. E eu tinha uma paixãozinha platônica pelo Celso Portiolli, ele era o galã da emissora. Passou uma Mercedes do lado e era ele oferecendo ajuda”.

Casada há 12 anos com Monjardim, Tânia Mara revela uma das primeiras frases trocadas entre eles: “Ele disse que eu era parecida com a mãe dele [a cantora Maysa]. Achei engraçado. Achei que era uma cantada barata”, admitiu. Questionada sobre seus videoclipes serem dirigidos pelo próprio marido, ela brinca, bem humorada: “Vou gastar [dinheiro] com diretor, se tenho de graça em casa? Gasto com outras coisas“.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregar mais