Sindicato acusa CNN de negligência com medidas de segurança contra coronavírus; emissora nega

Sala de maquiagem seria 'vetor de contaminação', diz associação

Publicado há um mês
Por Felipe Brandão
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

O coronavírus continua causando mais e mais problemas à CNN Brasil. Neste final de semana, o Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado de São Paulo acusou o canal pago de negligência com as medidas de seguranças necessárias à prevenção da covid 19.

A entidade afirma ter enviado à direção da emissora uma lista de recomendações para evitar a contaminação de outros funcionários – mas a maioria dela teria sido ignorada, mesmo após a confirmação de 30 casos da doença dentro das instalações em apenas duas semanas.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A sala de maquiagem não tem ventilação, e boa parte dos que lá trabalham deixando de usar máscaras boa parte do tempo. O resultado é que, ao que tudo indica, o lugar virou um vetor de contaminação”, define o sindicato, por meio de comunicado enviado à imprensa.

Em contato com o portal Notícias da TV, a CNN admitiu ter registrado “pico isolado de casos de covid 19 entre seus funcionários e colaboradores em sua sede em São Paulo“. Nomes como Monalisa Perrone, Leandro Karnal, Taís Lopes e Gabriela Prioli testaram positivo para a doença na última quinzena.

Negou, porém, as acusações de negligência, destacando contar com “um sólido conjunto de medidas de proteção, seguindo protocolos dos governos municipal, estadual e federal, além de contar com o respaldo de médicos especialistas“.

A emissora confirma, por outro lado, que o foco da transmissão do vírus realmente pode ter se dado em um determinado camarim de suas instalações – o qual foi submetido à desinfecção e teve afastados todos os funcionários ali alocados, como medida de segurança.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregar mais