Shark Week começa no Discovery com participação de Michael Phelps

Publicado há 3 anos
Por Endrigo Annyston
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

De 23 a 28 de julho, os predadores mais temidos do oceano retornam ao Discovery para a edição 2017 de SHARK WEEK, dessa vez acompanhados por outra fera das águas: o supercampeão olímpico Michael Phelps.

A programação especial vai ao ar a partir das 23h10 e traz, diariamente, três atrações que destacam aspectos fisiológicos decisivos para transformar os tubarões em predadores eficientes e velozes. Maior medalhista da história dos Jogos Olímpicos, Phelps também possui características especiais que fizeram dele o mais rápido das piscinas. Tubarões e Phelps: ambos parecem ter sido biologicamente modificados para vencer debaixo d’água.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

O atleta participa de duas atrações inéditas: MICHAEL PHELPS: ESCOLA DE TUBARÕES (Shark School with Michael Phelps) é especial que inaugura a SHARK WEEK 2017 no domingo, 23, às 23h10. Na segunda-feira, 24, também às 23h10, ele está de volta à tela com PHELPS VS. TUBARÕES (Sharks Vs. Phelps), desafio inédito que o coloca em uma corrida subaquática com os predadores.

Entre as estreias, SHARK WEEK traz ainda TUBARÕES RADIOATIVOS (Nuclear Sharks: Bikini) na segunda-feira, 24, à meia noite (de segunda para terça). O documentário registra expedições ao Atol de Bikini, lideradas por Philippe Cousteau, neto do lendário mergulhador Jaques Cousteau. O atol foi local dos testes com bombas nucleares durante a Guerra Fria e a equipe de Philippe investiga o papel ecológico dos tubarões na recuperação da vida marinha local.

Na sexta-feira, 28, às 23h, TUBARÕES-BRANCOS: ESTRATÉGIA MORTAL (Killing Games) abre o último dia da programação especial com um enigma para a ciência. O especial revela que tubarões de um ponto específico na costa australiana desenvolveram novos hábitos e estratégias de caça: eles não mais esperam para capturar as focas que nadam por perto; estão indo a águas rasas atrás dos mamíferos. Esse comportamento jamais captado pelas lentes será explorado com a ajuda de um robô em forma de foca e novas tecnologias na captação de imagens.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio