Selton Mello, Letícia Sabatella e Mariana Ximenes apresentam seus personagens em Nos Tempos do Imperador

Os atores vivem Dom Pedro II, Teresa Cristina e Condessa de Barral

Publicado em 7/7/2021
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Nos Tempos do Imperador, nova novela das seis da Globo, tem estreia confirmada para 9 de agosto. A trama, escrita e criada por Alessandro Marson e Thereza Falcão, e com direção artística de Vinícius Coimbra, leva o público ao ano de 1856, e mostra Dom Pedro II (Selton Mello), o líder que pretende garantir a integração da nação e ampliar os horizontes do povo. Investir na educação seria a chave para o futuro, na sua visão.

Dom Pedro II (Selton Mello) precisou assumir cedo a responsabilidade com a política. Com apenas cinco anos, dois dias após a volta de seu pai, Dom Pedro I, para Portugal, com o intuito de disputar a coroa portuguesa, tornou-se Imperador do Brasil, sob regência. A mãe, Leopoldina, morreu quando Pedro tinha um ano, e sua educação foi conduzida por preceptores.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Teve sólida formação, muito focada em alta cultura, ciência e tecnologia. A administração do Brasil ficou a cargo de regentes, até que, aos 14 anos, com a Lei da Maioridade, foi declarado apto a assumir a coroa. Muito jovem e sem os pais presentes, precisou amadurecer rápido e aprendeu que, antes de pensar em si mesmo, deveria colocar o país à frente de seus sonhos.

Na Corte, Dom Pedro II, ficou conhecido como o Imperador viajante, pois buscou percorrer o extenso território brasileiro, de forma a manter a unificação do Brasil. Assim como o pai, Dom Pedro II casou-se por procuração.

A união com Teresa Cristina (Leticia Sabatella) foi fruto de um acordo político com a Casa Dinástica Europeia de Bourbon, visando garantir a sucessão ao trono. No entanto, aprendeu com ela os valores do casamento, da amizade e da família. Juntos, são pais de Leopoldina (Melissa Nóbrega/ Bruna Griphao) e Isabel (Any Maia/ Giulia Gayoso), lutam por um país mais justo, igualitário, com oportunidades na educação e nas artes para toda a população, mas enfrentam um caminho cheio de obstáculos.

Em uma de suas viagens com a Imperatriz pelo Brasil, recebe a visita de Solano López (Roberto Birindelli), comandante das tropas do Paraguai, que invade o Brasil sem anunciar, e pede a mão da princesa Isabel em casamento. O objetivo é selar um acordo entre Paraguai e Brasil contra a Argentina e o Uruguai.

O encontro assusta o Imperador, que logo decide voltar ao Rio de Janeiro para pedir o apoio do Congresso na formação de um exército, já que sentiu a ameaça nas palavras de Solano ao negar seu pedido, e teme um possível ataque ao Brasil.

Além disso, precisa preparar as filhas para assumirem suas responsabilidades como membros da família real. Para ajudar na formação delas, convida Luísa (Mariana Ximenes), a Condessa de Barral, para ser a preceptora das meninas. Ele precisava de uma pessoa capaz de passar todas as noções de etiqueta, educação, assim como um conhecimento vasto do mundo às crianças.

Condessa de Barral

Antes de chegar ao Rio de Janeiro, Luísa (Mariana Ximenes) estava na Bahia com o marido Eugênio (Thierry Tremouroux) e o filho Dominique (Thor Becker) para o enterro de seu pai, Dom Domingo. Dono de uma fazenda na região, ele era conhecido por abrigar negros escravizados fugitivos e por dar alforria aos seus.

A Condessa tinha em seu pai um exemplo de homem e estava dedicada a cuidar de sua saúde. A morte dele chamou a atenção dos coronéis vizinhos, interessados em comprar as terras que ela herdou. Firme, Luísa nega as propostas e mantém o legado de Dom Domingo, tomando as rédeas da administração da propriedade e deixando claro que o lugar não está à venda.

Ainda em casa, recebe a carta do Imperador Dom Pedro II a convidando para ser preceptora de suas filhas, as princesas Isabel (Any Maia/ Giulia Gayoso) e Leopoldina (Melissa Nóbrega/ Bruna Griphao) – a indicação veio através de Francisca, irmã de D. Pedro II, que conheceu a Condessa na Europa. Cheia de orgulho, Luísa se honra com o convite e começa a preparar a mudança da família para a Corte.

A Condessa de Barral é um grande exemplo de mulher: moderna, educada no exterior, domina diversos assuntos e sabe muito bem aonde quer chegar. Muito bem relacionada, é capaz de dominar qualquer assunto, além de ter tido acesso a um mundo que Dom Pedro II não teve a oportunidade de conhecer por toda sua responsabilidade com o Brasil.

Ao lado de Eugênio, Luísa conhece a Imperatriz Teresa Cristina (Leticia Sabatella) e as filhas dos Imperadores, suas futuras alunas. Ao ficar frente a frente com a Condessa, Dom Pedro II é tomado por um encantamento diante da forte presença da preceptora.

Sua beleza, atitude, elegância e inteligência chamam a atenção de todos e mexem com os desejos mais profundos do Imperador. Teresa percebe o comportamento do marido, mas, em nome da família, mantém a discrição e observa a aproximação dos dois.

Personagens históricos

Para Selton Mello, Nos Tempos do Imperador traz um pouco de tudo que uma boa novela pode oferecer. “E ainda com a chance rara de apresentar ao público uma parte fundamental da nossa história. Não em tom de documentário, mas sem dúvida apresentando para quem não sabe, ou refrescando a memória de quem sabe, um bocado de nossa história do século XIX”, afirma.

O ator fala também sobre as características de seu personagem na trama: “A paixão pela Condessa de Barral foi algo marcante na vida deste homem, que foi criado sem os pais e teve tutores em seus lugares. Portanto, atrás da aura de Imperador, vivia também um menino eternamente órfão. Mas não apenas isso veremos. Perceberemos a grandeza deste homem, que sonhava um Brasil grande, recheado de conhecimento e educação” diz Selton.

Mariana Ximenes conta que mergulhou na personagem da Condessa de Barral para interpretá-la. “Eu não conhecia a Condessa de Barral e eu fui direto comprar o livro da Mari Belchiore que conta a história dela e, automaticamente, me apaixonei. Ela tem uma força, é espirituosa, tem muito conhecimento. É uma mulher moderna, à frente do seu tempo, fascinante”, descreve.

A atriz fala que interpretar uma personagem que já existiu é uma grande responsabilidade. “Por mais que você queira fazer a sua versão, a pessoa existiu, tem registro das características dela. No meu caso, tem um livro inteiro dedicado à ela. Espero ser leal a algumas características. É uma interpretação delicada, eu peço licença mesmo”, fala.

Interpretando a Imperatriz Teresa Cristina, Leticia Sabatella também mergulhou na preparação da personagem e tem se dedicado às aulas de canto lírico. “A Imperatriz é uma cantora exímia e D. Pedro II gosta muito de ouvi-la. Para a novela, voltei a fazer aulas de canto lírico, para readaptar minha embocadura, com notas mais agudas, que me exigem mais”, explica Letícia, que na obra cantará clássicos de Giuseppe Verdi, Mozart e Gioachino Rossini.

Nos Tempos do Imperador, a próxima novela das seis, é criada e escrita por Alessandro Marson e Thereza Falcão, com Julio Fischer, Duba Elia, Wendell Bendelack e Lalo Homrich e tem direção artística de Vinícius Coimbra, direção geral de João Paulo Jabur e direção de Guto Arruda Botelho, Alexandre Macedo, Pablo Müller, Joana Antonaccio e Caio Campos. A direção de gênero é de José Luiz Villamarim e a novela estreia no dia 09 de agosto de 2021.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio