Segundo Sol: Edgar tenta ficar em paz com Roberval, mas acaba se frustrando

Publicado há 2 anos
Por Renan Vieira
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Em Segundo Sol, na Globo, Edgar (Caco Ciocler) descobriu que Roberval (Fabrício Boliveira) é seu irmão, de pai e mãe. Além de chocado, ele ficou curioso para entender as consequências das mentiras lhe contaram a vida toda. Com isso, o arquiteto vai procurar o empresário e propor um entendimento, a fim de cessar a guerra. No entanto, o milionário será rude e não se mostrará disposto a esquecer as diferenças. Confira.

“Você sempre me apresentou pros outros como se eu fosse… ‘quase’ seu irmão! Você sempre falou que eu era “como se fosse, quase filho daquela casa”, que eu e minha mãe a gente era ‘como se fosse da família’!”, dirá Roberval, demonstrando mágoa com um passado sofrido.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Veja também: Maura e Ionan ficam sem graça depois de se beijarem, em Segundo Sol, na Band

Compreensivo, Edgar proporá uma mudança nessa história, a partir de agora. “Eu não sei se muda alguma coisa da maneira como eu sempre lhe tratei, ou como tratei Zefa, mas… agora pelo menos tudo se esclarece! Não muda o que passou, mas pode mudar daqui pra frente! Você devia ter contado tudo pra mim! A gente é irmão, Roberval! A gente foi vítima do mesmo pai maluco! Ninguém foi justo com a gente!”, afirmará.

Roberval demarca diferenças

“Justo? Você realmente quer me falar do que é justo? Foi justo eu ter sido criado como motorista enquanto meu irmão era criado como um playboy? Eu fui criado num quartinho”, rebaterá. “O que eu vim aqui pra lhe dizer é que agora eu entendo o motivo de tanta mágoa! E eu sinto muito por tudo que aconteceu. Gostaria muito que tudo tivesse sido diferente”.

“Eu não quero que você tenha pena de mim! Você pode ter pena da maluca da nossa mãe, da pobre da Karen, das filhas que você mal criou, do lixo que você se tornou! Você pode ter pena até do tirano do nosso pai, que no fundo é um baita de um infeliz… menos de mim!”. “Mas eu tenho pena de você ainda assim. Você foi quem mais sofreu nessa história toda”, insistirá Edgar.

“Talvez por isso eu tenha me tornado o mais forte. Olha pra mim! Eu era nada e hoje eu sou tudo! Eu tenho tudo que eu quis e todos vocês estão na minha mão!”, lembrará o empresário, orgulhoso, tentando demonstrar poder. No entanto, Edgar vai contrariá-lo: “E de que adianta tanto dinheiro e poder se você só tem ódio, rancor e mágoa aí dentro do seu peito?”, questionará.

Edgar diz que Roberval é como Severo

“Você tem é inveja, isso sim. Sempre teve!”, rebaterá. “Não tenho! Você se tornou um tirano, um homem sem vida! Você é igualzinho a Severo Athayde! É mesmo filho do meu pai, vocês são idênticos!”, apontará Edgar. “Edgar, sai daqui agora se não quiser perder o seu emprego! Sai daqui!”, ordenará o empresário.

Ao contrário do que Roberval esperava, Edgar estará sereno quando se trata do emprego dele. A ameaça não funcionará e ele devolverá com um “eu já perdi!”. E continuará argumentando: “Eu vim aqui de coração aberto, querendo paz, mas pelo visto isso é impossível! Agora quem não quer mais trabalhar aqui nesse escritório sou eu!”.

“Como assim!? Quem demite aqui sou eu! E eu te recontrato! Pago o dobro do seu salário!”, falará o filho revoltado de Zefa. “Desculpa, não tô interessado na sua oferta”, surpreenderá de novo Edgar. “Pago dez vezes o seu salário! E construo o shopping com o seu projeto, pronto! Onde é que você vai conseguir uma oferta melhor que essa?”, perguntará.

“Em lugar nenhum. E por isso mesmo é que eu não tenho que aceitar essa oferta de emprego. Porque isso não é uma oferta de emprego, é a venda da minha alma! Com licença!”. “Volta aqui, Edgar! Volta aqui!”, concluirá Roberval em vão, pois Edgar não o obedecerá.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio