Segundo Sol: Depois de sair de casa, Manu pede abrigo a Luzia

Publicado há 3 anos
Por Renan Vieira
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Em Segundo Sol, na Globo, Manu (Luisa Arraes) teve uma briga feia com sua família adotiva. Não suportando a pressão, optou por sair de casa e foi buscar, justamente, sua mãe verdadeira Luzia (Giovanna Antonelli). A moça conhece a protagonista como Ariella, uma outra identidade. Porém, sente confiança para pedir ajuda nesse momento difícil. Confira.

“Ariella? Você taí? Posso entrar?”, perguntará. “Entra… O que aconteceu?!”, dirá Luzia. “Eu fugi de casa. Tô mal, tô muito mal!”, falará arrasada, chorando. “Calma, respira fundo, me conta o que aconteceu!”. “Eu agora não tenho mais nada, nem mais a família torta que eu tinha… ninguém lá me entende, ninguém gosta de mim! Tô sentindo um vazio dentro de mim tão grande, tô tão sozinha! Me abraça?”, explicará.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Veja também: Cacau desconfia que Roberval quer se vingar dela, em Segundo Sol

“Você não tá sozinha, tem a mim, Manu! Não diz que eu sou sua melhor amiga? Não sabe que pode sempre contar comigo?”, consolará. “Eu sei, eu sou tão agradecida a você. Mas é diferente, você não tem nenhuma obrigação comigo… nenhum laço de verdade…”.

“Se quiser… pode me considerar como se eu fosse sua família… Eu prometo que nunca vou lhe decepcionar… Vai ficar tudo bem”, proporá Luzia. “Eles acham que eu continuo me drogando! Pouco se interessam pela minha vida, pelo que eu tô fazendo, eu mudei! Mas eles não acreditam! Rochelle, minha irmã, fica me envenenando, joga eles contra mim! Eu juro que tô limpa, tô amando trabalhar aqui com você, aí chego em casa e é uma tortura, é tão difícil… É difícil mudar quando ninguém acredita na gente!”.

“Eu acredito! Muita gente acredita, mas o mais importante é você acreditar em você, meu amor!”, falará a protagonista. “Eu não aguento mais, eu não volto mais pra lá, não quero ter que olhar na cara deles. Aquilo lá já deu pra mim. Mas o que eu faço?! Não tenho pra onde ir, não tenho onde ficar!”.

“Não disse que pode contar comigo pra lhe ajudar?”. “Jura? Então me deixa ficar aqui?”. “Ou no meu flat. Tem um sofá-cama na sala. Você pode dormir na minha cama”. “Jura?”, perguntará Manu. “Claro, meu amor!”. “Nem sei como lhe agradecer, Ariella… você é a melhor pessoa do mundo!”, concluirá Manu.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio