Segundo Sol: Armado, Remy ameaça matar Laureta por dinheiro

Publicado há 2 anos
Por Renan Vieira
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Em Segundo Sol, na Globo, Remy (Vladimir Brichta) acredita que Laureta (Adriana Esteves) roubou seu dinheiro. A quantia é milionária e eles conseguiram tomar de Karola (Deborah Secco). Agora, de volta a Salvador, o vilão vai apontar uma arma para a cafetina a fim de recuperar o montante. Confira.

“Surpresa, querida? Achou que ia desfrutar da minha grana impunemente?”, perguntará Remy. “Pra quê essa arma, Remy, ficou maluco? Do que é que você tá falando?”, questionará de volta Laureta. “Devolve meu dinheiro, cretina!”. “Você bebeu? Você não sabe onde enterrou o dinheiro e agora me acusa de estar com ele?”.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Veja também: Valentim resgata Karola de bordel de Laureta, em Segundo Sol, na Globo

“Não me irrita ainda mais, Laureta! Você mandou aquele pelego me seguir pra me roubar”. “Não sei de quem você tá falando, não sei de que dinheiro você tá falando, e abaixa essa arma que quem tá começando a ficar irritada sou eu!”. “Sua cara de pau não tem limite! Eu saquei que tava sendo seguido e tentei enganar o sujeito, mas você consegue gente esperta, profissional, não é? O desgraçado me roubou”.

Ainda neste capítulo de Segundo Sol

“Mas roubou o que?”. “Você acha que eu tô brincando, cachorra? Se você não devolver meu dinheiro, eu lhe mato, meto uma bala na sua cabeça! Você não vai me passar a perna!”. “Você que tava me passando a perna com aquela balela de não lembrar onde enterrou a grana, sonso! Aquele dinheiro não é só seu, é nosso!”.

“É meu, todo meu! Devolve!”. “O plano da Emily saiu da minha cabeça pra enganar Luzia, eu que arranquei aqueles dólares da Karola, o traidor aqui é você, que tentou fugir com o dinheiro, me enganando, me ludibriando, dissimulado como sempre, fominha, desleal!! Não é justo você ficar com tudo só pra você!”.

“Não tô querendo saber o que é justo ou não, eu quero meu dinheiro agora!! E não adianta ficar procurando uma arma pra me atacar, não, eu lhe conheço, Laureta!”. “Se acalme, Remy, não há nada que não se ajeite com uma boa conversa, um bom acordo”. “Bom pra você, claro”.

“Bom pra nós dois! Eu mereço uma parte desses dólares depois de tudo que fiz por você, você tava lascado, nem família mais tinha, corria o risco até de parar na cadeia… eu me virei nos trinta pra fazer você se passar por morto pra gente poder se dar bem, graças a mim tudo deu certo”.

“Graças a você? Eu que entrei dopado num caixão, quase fui cremado, tenho que viver clandestino e você ainda acha pouco, ainda quer levar vantagem?”. “Remy, eu sou a única pessoa que lhe resta na vida”. “Cala a boca, você não vai me enrolar!! Você vai me devolver o dinheiro por bem ou por mal”.

“Você tá passando dos limites”. “Eu não tenho limites… Devolve agora ou vou meter uma bala na sua cabeça!!!”. “Mete, quero ver, Remy, atira!!!”, ordenará Laureta.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio