Sassaricando X Haja Coração: veja as diferenças de uma para outra

Novela dos anos 1980 em cartaz no Viva serviu de base à produção de 2016 que está de volta

Publicado há 8 dias
Por Fábio Costa
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Nesta segunda-feira (12), a TV Globo inicia a apresentação da “edição especial” de Haja Coração, sucesso dos anos 2010 na faixa das 19h escrito por Daniel Ortiz. A proposta foi fazer uma releitura de Sassaricando, de Silvio de Abreu, original de 1987 que atualmente está em cartaz no Viva.

De uma novela para outra, embora vários personagens e tramas tenham sido resgatados houve diversas modificações, supressões e adaptações. A começar pelo título, que deixou de lado a alusão a uma gíria do começo dos anos 1950 e passou a valorizar os entrechos românticos da narrativa.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Em Haja Coração, um romance muito lembrado de Sassaricando tomou o lugar do saçarico de Aparício (Paulo Autran/Alexandre Borges) como fio condutor da novela: o triângulo formado por Tancinha (Cláudia Raia/Mariana Ximenes), Beto (Marcos Frota/João Baldasserini) e Apolo (Alexandre Frota/Malvino Salvador).

Outra mudança substancial promovida por Daniel Ortiz foi no núcleo de Tancinha, que passou a ser italiano dos dois lados e não apenas do lado paterno. Ricardo de Pádua (Carlos Zara) era italiano em 1987, e havia se casado com a espanhola Aldonza (Lolita Rodrigues).

Aldonza trabalhava como feirante ao lado de suas três filhas, Tancinha, Isabel (Angelina Muniz) e Juana (Denise Milfont). O filho mais velho, Jorge Miguel (Edson Celulari), supostamente estudava para ser médico, mas na verdade passava as noites numa boate em meio a expedientes.

Aldonza em Haja Coração virou Francesca Rigoni (Marisa Orth), que havia criado sem o marido Guido Di Marino (Werner Schünemann) os quatro filhos: Giovanni (Jayme Matarazzo), que no início da novela sai da cadeia depois de dois anos preso, Tancinha, Carmela (Chandelly Braz), equivalente a Isabel, e Shirlei (Sabrina Petraglia), que faz as vezes de Juana na família.

Mas até certo ponto apenas, já que Shirlei era na verdade uma personagem egressa de outra novela de Silvio de Abreu, Torre de Babel (1998), na qual foi interpretada pela atriz Karina Barum. Com uma deficiência física que a faz mancar, Shirlei conquista o amor do jovem Felipe (Marcos Pitombo), formando o casal que foi a maior marca de Haja Coração.

Ricardo havia deixado a família 15 anos antes e ido viver na Itália, onde comandava os negócios de Aparício e da Tecelagem Abdala, convertida em Grand Bazzar, um complexo gastronômico, em Haja Coração. Guido também sumiu do convívio de Francesca e dos filhos, mas vivia com outra mulher, Vitória (Betty Gofman), mãe de Felipe, que ele criara como filho.

Na família Varela, são semelhantes os sofrimentos de Aparício com a esposa megera, Teodora (Jandira Martini em 1987, Grace Giannoukas em 2016). Ele se casou com ela, rica herdeira, por interesse, já que sua grande paixão sempre fora Rebeca (Tônia Carrero/Malu Mader).

Ao enviuvar de Teodora, Aparício vê a chance de enfim ser feliz com Rebeca, mas um mal-entendido faz com que ela pense durante algum tempo que ele é um simples faxineiro do Grand Bazzar. Junto de Penélope (Eva Wilma/Carolina Ferraz) e Leonora (Irene Ravache/Ellen Rocche), Rebeca pretende arrumar um marido rico, após também ficar viúva.

Mãe de Beto e de Tamara (Cléo Pires), inexistente em Sassaricando, Penélope cai de amores por Henrique (Nando Rodrigues), amigo de Beto. Nos anos 1980 o nome do rapaz era Tadeu (Roberto Bataglin). Já Leonora mudou de atriz desconhecida para ex-BBB.

Teodora de fato morre em Sassaricando, logo no início, enquanto em Haja Coração ela não apenas demora mais a sair de cena como depois ressurge, viva. Jandira Martini também voltou a aparecer em Sassaricando, mas como fantasma que assombrava o marido Aparício.

Fedora (Cristina Pereira/Tatá Werneck) era uma herdeira rica, mimada e voluntariosa nos anos 1980 e isso foi potencializado em 2016, com o acréscimo do desejo de ser a mulher mais seguida do Brasil nas diversas redes sociais, o que dava margem a um comportamento ainda mais exibicionista e excêntrico.

Camila (Maitê Proença/Agatha Moreira) foi fotógrafa nas duas novelas, mas sua personalidade mudou um pouco em Haja Coração, lembrando em certos momentos mais Fedora do que a Camila original. Seu romance com Giovanni foi tumultuado pela advogada Bruna (Fernanda Rodrigues), obcecada pelo rapaz e inexistente em Sassaricando.

Ainda, das duas irmãs de Teodora, apenas Lucrécia (Maria Alice Vergueiro/Cláudia Jimenez) voltou. Fabíola (Ileana Kwasinski) e seu filho Tavinho (Alexandre Lippiani) não existiram em Haja Coração. No decorrer da novela, Safira (Cristina Pereira),uma prima, apareceu na mansão.

Outro núcleo que passou por algumas mudanças foi o de Apolo, que em Sassaricando tinha dois irmãos, Adônis (Rômulo Arantes) e Diana (Marcela Muniz). Eles eram órfãos, e em Haja Coração Apolo ganhou Nair (Ana Carbatti) como figura materna. Ela era mãe biológica de Adônis, mas o havia rejeitado devido a um quadro de depressão pós-parto.

Diana, pouco mais que uma adolescente, em Haja Coração passou a ser uma mulher feita, Larissa (Marcella Valente), casada com Renan (Conrado Caputo), rapaz que cumpre provas perigosas em vídeos para a internet. Diana se interessava por Tavinho, que gostava da prima Camila.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregar mais