Mais do que você gosta.
Assine o Star+
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
acidente de avião

Saiba como foi gravada a trágica morte de Madeleine em Pantanal

O diretor Thomaz Cividanes detalhou os bastidores da cena

Publicado em 22/05/2022
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio

Neste sábado (21), Madeleine (Karine Teles) se despediu da novela Pantanal de forma trágica. Em uma tentativa de reencontrar José Leôncio (Marcos Palmeira), a loira embarcou em um pequeno avião particular. No entanto, uma forte tempestade desestabilizou o bimotor, que caiu dentro do rio.

Para gravar a cena, foram mais de 50 profissionais envolvidos. A responsabilidade da cena ficou por conta do diretor Thomaz Cividanes, que, durante dois dias, se dedicou exclusivamente ao momento. Em entrevista ao portal GShow, o profissional falou sobre o desafio.

Continua depois da publicidade
Não foi possível carregar anúncio

Em geral, a gente sabe que a Madeleine da primeira versão teve uma despedida inesperada por problemas pessoais. Não queria que a Madeleine da versão atual se despedisse do público de maneira leviana, supérflua. Queria que a cena fosse uma grande homenagem à personagem e à própria Karine, de quem sou muito, muito fã”, contou.

O trabalho começa com a entrega do texto com as informações sobre o acidente para a equipe. Além disso, a produção elabora um esboço sobre como será filmado cada plano e enquadramento da sequência, que recebe o nome de storyboard. Veja:

Storyboard do acidente de Madeleine em Pantanal

Pra isso, em conversa com a equipe de direção da novela, achamos que cabia um flashback, não pedido em texto, que fosse um grande filme da vida dela na novela. E esse flashback entra como uma suspensão do tempo. É como se, com o avião prestes a bater, o tempo parasse e passássemos a acompanhar a vida dela”, continuou o diretor.

“A cenografia reconstruiu a lateral da porta do avião em que a Madeleine está sentada, além de um trabalho super preciso da equipe de efeitos pra que toda a chuva e neblina imprimissem o pânico que é estar perdido no céu. Além do efeito de água final, que fizemos com água real na Karine. Por fim, a equipe de computação foi fundamental pra criar todos os balanços necessários pra simular a turbulência”, completou Thomaz.

O diretor falou também sobre a importância da intérprete em questão. “Para mim, foi uma das maiores honras profissionais da vida. Sou muito fã da Karine, mesmo. Devorei tudo quanto é filme e série dela. Ela é uma das pouquíssimas atrizes que me convencem a ir desesperado assistir a algo antes mesmo de saber do que se trata. Karine é um furacão em cena”, ponderou.

Com informações do portal GShow.

Publicidade
Não foi possível carregar anúncio

Deixe o seu comentário

Em Alta

Carregando...

Erro ao carregar conteúdo.

Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
Publicidade
Posting....