Rômulo D’Avila fala sobre ajuda a idoso durante link no Hora 1: “Foram várias mãos para que isso acontecesse”

Publicado há 8 meses
Por Arthur Pazin
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Durante passagem ao vivo sobre as fortes chuvas que atingiram a capital paulista no Hora 1 , desta segunda-feira (10), o repórter Rômulo D’Avila acabou virando notícia ao interromper o link para ajudar um idoso de mais de 90 anos que estava na chuva, na Marginal Pinheiros, no Itaim Bibi, pedindo por ajuda.

“Eu acho que tem uma pessoa de idade aqui precisando de ajuda. Vocês podem me chamar daqui a pouco?”, pediu o profissional, que logo usou o guarda-chuva que tinha para cobrir o idoso e foi conversar com o homem que estava com ele.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Na Internet, usuários das redes sociais elogiaram a postura do jornalista, que se mostrou humanizado com a situação. Após a sequência, Seu Altair, que precisava avisar a família que teve o carro inundado, foi ajudado pela equipe do telejornal, que ligou para o telefone fixo de sua casa e resolveu a situação.

Em entrevista exclusiva ao Observatório da TV, Rômulo D’Avila falou sobre a situação inusitada e a repercussão do caso. Confira:

“Essa nossa rotina jornalística faz com que a gente crie uma certa ‘casca’. Essa casca segura a nossa onda pra que a gente consiga se manter firme diante das situações mais adversas que aparecem no dia a dia.

Só que hoje essa casca envolveu um ser humano”, avaliou o repórter, que afirmou ter refletido sobre o seu compromisso enquanto jornalista. “Eu sempre saio da redação pensando: o meu compromisso é com a notícia! Hoje eu descobri que não.

Meu compromisso, antes de mais nada, é com o outro. Num instante eu pensei: e agora? De um lado eu tenho a notícia, do outro eu tenho alguém fragilizado que, sem falar uma palavra, me pedia ajuda”, explicou o profissional, que esclareceu que quando perguntou ao âncora se era possível conversar depois, quis ganhar alguns minutos para deixar o idoso em segurança.

Foram várias mãos para que isso acontecesse. Primeiramente, a dos motociclistas que pararam na Marginal Pinheiros alagada e não pensaram duas vezes em tirar o seu Altair do carro. Eles arriscaram a vida deles antes de procurarem a nossa equipe. O motociclista (cujo o nome eu esqueci) me disse: “moço, ajuda a gente. Ele tem mais de 90 anos. Cuida dele pra mim? Eu tô todo molhado, preciso ir pro meu trabalho”, relatou o jornalista, que se comoveu ao ver o idoso precisando de ajuda.

Já existia gente preocupada antes de eu entrar nessa história. Eu e minha equipe só fizemos o mínimo que podíamos para aquele momento: oferecemos abrigo da chuva, ligamos para a esposa do seu Altair pra tranquilizá-la, dizer que estava tudo bem, e chamamos um táxi para que ele pudesse voltar pra casa com segurança. Antes de entrevistá-lo ao vivo, questionei: “o senhor se sente confortável em conversar com a gente nesse momento?”. ele respondeu sim. Não queria ser ainda mais invasivo naquele momento triste“, contou o repórter.

Depois de tudo resolvido, Seu Altair entrou no táxi e agradeceu o profissional em poucas palavras: “muito obrigado moço da… é da Globo, não é?”, perguntou o idoso, que foi procurado horas depois por Rômulo.

Ele não precisava dizer muito, até porque eu também não fiz muito por ele, só o que estava ao meu alcance. Horas depois eu liguei novamente pra casa dele, apenas para garantir que ele tinha chegado bem.”

“Tudo certo com o seu Altair, eu estava pronto outra vez para reportar”, concluiu o jornalista, que há seis meses na Globo São Paulo costuma cobrir reportagens para o SP1 e SP2, com entradas em todos os telejornais da emissora.

Sobre o repórter

Gaúcho de Santa Maria, Rômulo D’Avila iniciou na TV como repórter da RBS TV, afiliada da Globo no Rio Grande do Sul, em Caxias do Sul, Bento Gonçalves e Lajeado, onde atuou por dois anos. Em seguida, ele integrou a equipe da TV Tem, afiliada da Vênus Platinada no interior paulista.

Durante três anos, o jornalista cobriu reportagens em Botucatu (SP) e São José do Rio Preto (SP) até receber o convite para migrar para a capital.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregar mais