Rodrigo Pandolfo fala sobre morte trágica em Verdades Secretas 2: “Cena prazerosa”

Ator é namorado de Bruno na trama de Walcyr Carrasco

Publicado em 16/11/2021 12:45
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Benji, personagem de Rodrigo Pandolfo em Verdades Secretas 2 não vai ter um desfecho feliz. O traficante requisitado pelos endinheirados e modelos da trama se dará mal após uma discussão ferrenha com Bruno, papel de João Vitor Silva.

A morte trágica de Benji ocorre no final do 16º episódio da novela que compõe o catálogo do Globoplay. A briga entre os dois acontece por falta de dinheiro. Benji reclama para o namorado enquanto bebe, fuma e cheira cocaína sem parar. Desorientado, o traficante brinca de se jogar da janela e acaba, acidentalmente, despencando.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Sobre a sequência, Rodrigo Pandolfo revelou ter adorado fazê-la. “A cena da queda foi a mais prazerosa de gravar. Eu e João Vitor a ensaiamos desde o nosso primeiro encontro e nos preparamos com muita calma, concentração, escuta e presença. Estávamos apoiados na confiança, foi emocionante“, assume o ator ao Extra.

Para se ter ideia da complexidade, a cena do acidente foi gravada durante quatro horas. Os dois atores envolvidos acabaram as filmagens extasiados. “Eu e ele conquistamos uma vibração muito similar. A peteca não podia cair. Interessante é que a cena foi gravada em duas partes, em dias diferentes. A primeira, até eu correr pra janela, gravamos em São Paulo, no apartamento do Benji. A parte final, da queda, gravamos no estúdio”, conta Pandolfo.

Ele continua explicando. “Reproduziram uma parede do apartamento pra que eu pudesse subir na janela e cair de fato, mas em um colchão gigante e macio (risos). Voltar ao mesmo estado emocional pra gravar somente o final foi um desafio à parte“, diz.

Ele adianta que o público vai se surpreender com a qualidade das cenas. “Essa cena (da queda) é o resumo de tudo. É quando o cristal se parte, quando o olhar não vê clareza, só abismo. Quando as forças se desequilibram e embaçam a visão. Ali, o desespero sai da toca e mete a cara na roda. Uma cena digna do mestre Walcyr Carrasco“, finaliza o artista.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Deixe o seu comentário

Em Alta

Carregando...

Erro ao carregar conteúdo.

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio