Roberto Leal desabafa sobre luta contra o câncer no programa Sensacional: “Quase fiquei sem respirar”

Publicado há 2 anos
Por Greicehelen Santana
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

No programa Sensacional desta quinta-feira (07), às 22h45, na RedeTV!, Daniela Albuquerque entrevista o cantor e compositor português Roberto Leal. Na edição, o artista fala sobre sua luta contra o câncer, descoberto há dois anos.

Veja também: Alok comandará trio sem cordas no Carnaval de Salvador

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

O que começou como uma hérnia de disco, culminou em fortes dores na coluna e membros inferiores. Depois de um agressivo tratamento, o cantor acabou desenvolvendo catarata e perdeu parcialmente a visão do olho direito.

Se eu tivesse ouvido e tomado decisões de outras pessoas, eu teria retirado a minha vista direita”, desabafa Roberto. Ao todo foram três cirurgias e dez sessões de radioterapia.

De repente eu me vi chegando em cadeira de rodas, vivendo como pessoas que tinham problemas de locomoção”, continua.

Roberto ainda recorda o momento em que teve sua locomoção comprometida com a metástase na panturrilha. O quadro fez com que ele deixasse de se apresentar.

Quando eu entrei no palco, que eu tive que ser carregado porque não conseguia chegar lá sozinho, aquelas pessoas ficaram todas assim, para trás [espantadas]. E uniram-se em um grito só: ‘Roberto! Roberto!’. Era me devolver tudo aquilo que eu fui buscar”, revive Leal.

O artista revela jamais ter perdido as esperanças de superar a doença, mesmo quando ninguém mais acreditava em sua recuperação. “Muitas pessoas me visitaram e era fácil ler na cabeça delas: ‘Este não sai mais daqui’. Inclusive, pessoas da minha família”, desabafa.

Dores e cirurgias

Houve dias de muitas dores, nos quais o cantor pensou que não fosse resistir. “Vi a minha parte rítmica ir a zero, quase fiquei sem respirar, precisei de aparelho”, relembra. “Quando cheguei para a cirurgia, já estava com uma dor tão grande, foi a hora em que eu quase perdi a consciência”.

Ao acordar, Leal sentiu-se como se um elástico preso estivesse sido removido de sua coluna: “Naquele momento, eu renasci”. A lição que aprendeu após a batalha serviu ainda de inspiração para que ele escrevesse sua nova música.

Acredite que a vida é um dia após o outro, assim como as folhas de um livro que se vai lendo. Um dia uma página é triste, outro dia o sorriso nascendo. A gente está sempre aprendendo a existir”, afirma Leal, finalizando: “Fatalmente, vai se chamar ‘Vida te quero viva’, porque vivemos muitas vezes a vida sem vida”.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio