Reynaldo Gianecchini revela que assédio do público diminuiu: “Estou saindo daquela casca do galã”

O ator relembra o frisson de sua estreia na TV em Laços de Família

Publicado há um mês
Por André Santana
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A reprise de Laços de Família, atualmente em cartaz no Vale a Pena Ver de Novo, dá a chance ao público de ver Reynaldo Gianecchini em início de carreira. A trama de Manoel Carlos, gravada em 2000, marcou a estreia na TV do ator, que viria e se tornar uma das principais estrelas da televisão brasileira.

Em entrevista à revista Quem, o ator lembra que foi muito criticado por conta de sua performance como Edu, um dos protagonistas da obra. “Vivemos em um país em que todos querem dar suas opiniões, mas esquecem que podem nos machucar. Essa exposição faz as pessoas falarem o que quiserem. Isso era um choque. Na época, me machucava. Hoje, não mais, a gente aprende a colocar um escudo”, contou.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Apesar das críticas, Gianecchini tem boas lembranças da época da novela, sobretudo as parcerias com Vera Fischer e Carolina Dieckmann. Ele também é só elogios a Marieta Severo, que vivia Alma, tia de Edu.

“Marieta é muito deliciosa e divertida no set. Ela é querida de um jeito espontâneo, de quem gosta da troca. Em nenhum momento, ela se coloca em um pedestal, como merece estar pela maravilhosa atriz que é. Marieta vinha me ajudar muito espontaneamente e só posso ter muito amor por ela”, revela.

O ator também conta que o assédio intenso da época o assustou. “Convivi por muito tempo com esse lance de quererem te agarrar, te puxar… Agora que está dando uma diminuída. Está diminuindo bastante. Estou saindo daquela casca do galã, o que é bom”, celebra.

Apesar das críticas e da pressão, Reynaldo Gianecchini conseguiu driblar as dificuldades e se consolidou na televisão. O ator emplacou vários mocinhos, como em Esperança (2002), Da Cor do Pecado (2004) e A Lei do Amor (2016), e também alguns antagonistas marcantes, como em Passione (2010), Verdades Secretas (2015) e A Dona do Pedaço (2019).

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio