Renato e Alice: caminhos cruzados em Os Dias Eram Assim

Publicado há 4 anos
Por Endrigo Annyston
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Um parto, um protesto e um encontro em um bar no dia da final da Copa do Mundo. O dia 21 de junho de 1970 une de formas distintas as famílias Reis e Sampaio Pereira. Em comum, apenas a intensidade dos sentimentos que esses encontros geram: é gratidão, fúria e amor desmedido.

Gratidão. É o que Toni (Marcos Palmeira) sente pelo jovem médico Renato (Renato Góes) depois que ele salva a vida de sua mulher, Monique (Leticia Spiller), após ela sofrer complicações no parto da caçula, Esperança (Manu Papera/Kiria Malheiros). Toni é irmão e sócio do dono da construtora Amianto, Arnaldo Sampaio Pereira (Antonio Calloni).

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Fúria. É o que o jovem estudante Gustavo (Gabriel Leone) provoca em Arnaldo ao participar de um protesto que acaba com a explosão de um artefato caseiro contra a fachada de sua construtora. Gustavo é o irmão mais novo de Renato, primogênito da família Reis. E Arnaldo não vai sossegar enquanto o delegado Amaral (Marco Ricca) não localizar e prender o rapaz.

Amor. E à primeira vista. É o que arrebata Renato e a estudante de Letras Alice (Sophie Charlotte) quando se conhecem por acaso para comemorar a conquista do tri. Ela é sobrinha de Toni e filha de Arnaldo. Ele não sabe disso. E ambos ignoram que os caminhos das famílias já haviam se cruzado horas antes.

Com previsão de estreia para abril, ‘Os Dias Eram Assim’ é assinada por Angela Chaves e Alessandra Poggi e tem direção artística de Carlos Araújo. Ambientada no Rio de Janeiro, entre as décadas de 1970 e 1980, da repressão às Diretas Já, a trama vai mostrar a vida de pessoas comuns e seus amores afetados pelo contexto histórico do Brasil na época. E de como este momento foi capaz de interferir em vidas, sonhos e histórias de amor.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio