Renato Aragão completa 85 anos; relembre a carreira do eterno Didi Mocó – e dos indissociáveis Trapalhões

Publicado há 9 meses
Por Fábio Costa
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Neste 13 de janeiro de 2020, o humorista Renato Aragão completa 85 anos. Nascido na cidade cearense de Sobral, ele se formou em Direito e trabalhou num banco, antes de se dedicar de vez e para sempre à sua paixão maior, a comédia. Aos 25 anos, em 1960, Antônio Renato Aragão venceu um concurso para trabalhar na então recém-inaugurada TV Ceará como produtor, diretor e redator (as três funções eram agrupadas numa, intitulada à época “realizador”). O programa Vídeo Alegre marcou sua estreia na telinha, em sua terra natal. Didi é uma criação já desses primeiros anos, antes de Renato se transferir para o Rio de Janeiro, o que ocorreu em 1964.

Ele foi contratado pela TV Tupi carioca, onde conheceu o parceiro Manfried Santana, o Dedé. A dupla atuou inicialmente no humorístico A, E, I, O… Urca, e em 1965 fez o filme Na Onda do Iê-Iê-Iê, de Aurélio Teixeira. Foi nesses primeiros anos de Renato Aragão no Rio que Didi ganhou o sobrenome que não perdeu mais: Mocó Sonrisal Colesterol Novalgina Mufumbo. O artista improvisou num quadro ao vivo que emulava uma entrevista de emprego para Didi e a gargalhada do público presente o incentivou a repetir o improviso noutro quadro. E é assim até hoje. Entre 1964 e 1966, além da TV Tupi do Rio de Janeiro, outras emissoras como as paulistas Excelsior e Record também contaram com Renato em seus humorísticos. Em 1966 ele criou na Excelsior o programa Adoráveis Trapalhões, que fazia ao lado de Dedé Santana, Ivon Curi, Ted Boy Marino e Wanderley Cardoso.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

O ingresso de Renato Aragão na Globo

No decorrer da década de 1970, Renato Aragão atuou na TV Record e na TV Tupi. Na primeira, com Dedé e Antonio Carlos Bernardes, o Mussum, ele fez o programa Os Insociáveis, enquanto na segunda já teve início o título Os Trapalhões, com a incorporação de Mauro Gonçalves, o Zacarias, ao elenco. Em 1977, após incomodarem bastante a Globo nas noites de domingo com seu programa na Tupi, Os Trapalhões foram contratados pela emissora de Roberto Marinho. Durante quase 20 anos a partir daí, a faixa das 19h de domingo, antes do Fantástico, ficou marcada pelo programa, especialmente adorado pelas crianças.

Renato Aragão e Os Trapalhões no cinema: campeões de bilheteria

O sucesso do quarteto na televisão se repetiu no cinema. Algumas das maiores bilheterias do cinema brasileiro pertencem a filmes dos Trapalhões. A saber, mais de 130 milhões de ingressos foram vendidos para os mais de 40 filmes com Renato Aragão no elenco. Só para exemplificar, O Trapalhão nas Minas do Rei Salomão, Os Trapalhões na Guerra dos Planetas, O Cinderelo Trapalhão, Os Trapalhões na Serra Pelada e Os Saltimbancos Trapalhões foram os cinco mais vistos. O Cangaceiro Trapalhão e Os Trapalhões no Auto da Compadecida são outros títulos significativos, além de O Casamento dos Trapalhões e A Princesa Xuxa e os Trapalhões. Clássicos da Sessão da Tarde da infância de muita gente, com toda a certeza.

Especiais e novos programas na televisão: o eterno Didi sem os companheiros de sempre

No começo dos anos 1980, Os Trapalhões se separaram temporariamente. O programa habitual ficou apenas com Renato, enquanto Dedé, Mussum e Zacarias partiram juntos para outro humorístico dominical, chamado A Festa É Nossa. Embora depois o quarteto tenha se reunido, as mortes de Mussum e Zacarias nos anos 1990 puseram fim ao programa. Ademais, um desencanto de Renato Aragão com o trabalho àquela altura separou-o também de Dedé. Após alguns anos fazendo praticamente só o especial anual do Criança Esperança e unitários de fim de ano que se inspiravam em histórias clássicas, Renato voltou à carga em 1998 com A Turma do Didi.

Em 2008, após anos separados e uma passagem de Dedé pelo SBT, a dupla se reencontrou na Globo. O programa ficou no ar até 2010, quando foi reformulado e ganhou novo nome: Aventuras do Didi. O dia continuava a ser domingo, mas agora na faixa da tarde, hora do almoço. Além disso, nos primeiros tempos do Zorra Total, em 1999, Renato fez parte do elenco do programa, que era composto de diversos esquetes com humoristas consagrados.

Nos últimos anos, Renato Aragão tem feito apenas pequenas participações esporádicas em humorísticos da Globo, como Divertics e Tá no Ar. Dedé e ele também apareceram numa versão modernizada, digamos assim, de Os Trapalhões, que teve Lucas Veloso, Bruno Gissoni, Mumuzinho e Guilherme Santana, em 2017.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregar mais