RedeTV! resolve situação de jornalistas, mas radialistas prometem parar nesta quinta

Publicado há um ano
Por Gabriel Vaquer
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A RedeTV! anunciou internamente nesta tarde de quarta-feira (23) que decidiu rever a decisão de cortar as horas extras por lei, que faria os salários de profissionais caírem em até 40%. A decisão ocorreu após os funcionários da emissora aprovarem um estado de greve nesta terça (22). Ou seja, se até quinta não houvesse uma solução, a emissora iria parar. Mas apenas os jornalistas da TV estão “tranquilos”.

Segundo apurou o Observatório da Televisão, os radialistas da emissora ainda estão em estado de greve. Eles estão sem dissídio faz dois anos. Além disso, nenhum formado em Rádio e TV que trabalha na emissora tem participação nos lucros da empresa. A luta é para reverter essa situação. Com isso, se nada for resolvido, nesta quinta (24) às 14h, eles irão parar de trabalhar.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Para os jornalistas, a situação já está acalmada, dentro do possível. A decisão de voltar atrás em tirar as horas extras causou certo alívio em boa parte da equipe de Jornalismo da RedeTV!, mas ainda não existe segurança. O trecho final do comunicado, em que a emissora afirma que “busca soluções para se adequar a realidade atual” assustou. Agora, teme-se cortes de pessoal. Eles também tem dissídio atualizado e participação nos lucros garantida.

O horário de trabalho para todos os profissionais voltará a ser de oito horas com 15 minutos de almoço a partir desta quinta. Os radialistas também pedem a regularização do pagamento de vale-transporte, que está atrasado em mais de uma semana, além de um tratamento mais igualitário para a categoria em relação aos outros setores da empresa.

Radialistas da RedeTV! prometem parar nesta quinta, às 14h

Caso uma solução para os radialistas não seja resolvida, existe a chance de uma gravação marcada para esta quinta do programa Mega Senha, game show comandado por Marcelo de Carvalho, seja prejudicada por falta de profissionais técnicos.

Nesta terça, a RedeTV! teve muitos problemas internos. Por causa da decisão de tirar horas extras, toda a equipe do programa Tricotando foi embora antes do programa começar por causa da decisão. Para fazer a atração, dois profissionais do TV Fama foram emprestados ao Tricotando.

Veja o comunicado onde a RedeTV! diz ter voltado atrás na decisão de retirar horas extras:

“Prezados colaboradores. A RedeTV, após profunda reflexão, decidiu reavaliar a questão da suspensão de horas extras, retirando sua determinação. Esclarece porém que continuará buscando alternativas visando sua necessária reestruturação financeira, essencial para adequação às atuais condições de mercado”.

Veja comunicado do Sindicato dos trabalhadores em Empresas de Radiodifusão e Televisão de São Paulo sobre a situação da RedeTV!

“Mesmo com recuo por parte da empresa, em não querer implementar alterações na escala de trabalho e corte nas horas extras de radialistas e jornalistas, os trabalhadores presentes na assembleia decidiram manter o estado de greve devido a Rede TV não ter se posicionado em relação as antecipações salariais e ao pagamento do PPR (radialistas).

Nas negociações da Campanha Salarial de 2019, em que a Rede Globo tem usado sua força política para barrar a assinatura da conveção coletiva da categoria pelo Sindicato Patronal, a REDE TV segue a cartilha do patronal até a primeira vírgula, na segunda, nem tanto. Pelo menos é o que se interpreta em relação a postura da empresa em não seguir a orientação do patronal em fazer as antecipações salariais. Das grandes emissoras de TV, apenas a REDE TV não fez as antecipações. O fato de não ter uma posição de pagamento do Programa de Participação dos Resultados, pesou, também, na decisão de estender o estado de greve até a próxima assembleia, agendada para quinta feira (24), às 14h, em frente a empresa.

Enquanto a Rede TV não deixar claro qual seu comprometimento com o profissionalismo de seus trabalhadores, estará sujeita a iminência de paralisação de sua programação

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio