Profissão Repórter conta histórias de pessoas que se dedicam a cuidar de outras

Publicado há 2 anos
Por João Paulo Reis
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Cuidar de outra pessoa não é uma tarefa fácil. Além de exigir dedicação, muitas vezes significa abdicar da própria rotina. O Profissão Repórter que vai ao ar nesta quarta-feira, dia 7, vai a algumas cidades entre São Paulo e o Distrito Federal para conhecer pessoas que dedicam suas vidas para cuidar de quem necessita de atenção especial.

Na periferia de Planaltina, no Distrito Federal, a repórter Nathália Tavolieri acompanha a rotina de Dayanne Ferreira dos Santos. Ela é uma moradora que viu sua vida mudar completamente há cerca de 1 ano e meio. Ela largou o emprego para cuidar da irmã, Nayara Ferreira dos Santos. Esta, que após ser vítima de uma tentativa de homicídio, está em estado vegetativo e não sai mais da cama.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Leia também: Solteira, sertaneja Maiara avisa: “Tô numa busca por mim mesma”

Sozinha, Dayanne ajuda a irmã com todos os cuidados básicos, como alimentação e banho. “Foi difícil fazer um registro delicado sem ser chocante ou sensacionalista. Tentei fazer com delicadeza, de uma forma natural. Pois a história em si já é muito triste”, conta a repórter. Nathália passou alguns dias ao lado das irmãs.

E mais em Profissão Repórter

Em Guarulhos, na Grande São Paulo, a repórter Alana de Oliveira conhece o trabalho realizado pelas assistentes sociais das Casas André Luiz.

Elas saem em busca das famílias dos parentes das mais de 600 pessoas com deficiências intelectuais que moram na instituição, e tentam convencê-los a visitarem os parentes internados.

O programa ainda conta com a reportagem de Daniela Martins e Dorothea Rempel, participantes do Globo Lab. Globo Lab é uma iniciativa da Globo para fomento da inovação e relacionamento com a nova geração de criadores de conteúdo. Elas apresentam a Caco Barcellos a história da professora e missionária americana Lois Mckinney. Cuja casa virou uma república de estudantes em Campinas, interior de São Paulo. Quando Lois começou a apresentar os primeiros sintomas de Alzheimer, os jovens moradores da residência passaram a se dividir para cuidar da idosa.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio