Profissão Repórter acompanha a trajetória histórica do Flamengo rumo ao bicampeonato da Libertadores

Publicado há um ano
Por João Paulo Reis
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

O caminho percorrido pelos torcedores do Flamengo para ver de perto a tão sonhada taça da Libertadores sendo erguida pelo time foi árduo. Para o Profissão Repórter, Caco Barcellos viajou por cinco dias nos ônibus lotados de torcedores flamenguistas, privilegiados por poder assistir à final em Lima, cidade que recebeu a partida decisiva da Libertadores. 

O repórter mostra no programa desta noite as emoções, os perrengues e a glória desses torcedores ao vivenciarem o momento histórico que aguardavam há 38 anos. A repórter Danielle Zampollo estava no meio da torcida do River Plate no estádio Monumental, em Lima.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Ela conheceu Milton Aguilera, um argentino de 25 anos que viajou com pouco dinheiro a capital peruana. Ele e mais 15 amigos pegaram caronas, dormiram na rua e até passaram fome para acompanhar o time. A torcida saiu em completo silêncio do estádio depois da virada surpreendente nos últimos minutos.

No Rio de Janeiro, a repórter Sara Pavani conheceu as torcidas organizadas nos morros. No dia da grande final, a comunidade do Pavão Pavãozinho alugou um projetor para uma multidão de flamenguistas acompanhar o jogo. Choveu, o sinal caiu e o projetor quase pifou.

Quando tudo parecia perdido, os torcedores que estavam no bar, cujo nome é “Bar da Virada”, pareciam não acreditar quando viram a taça sair das mãos do River nos últimos minutos de jogo.  O Profissão Repórter vai ao ar nesta quarta-feira (27).

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregar mais