Primeiros capítulos: Um Lugar ao Sol começa com morte no parto, irmãos separados e passagem de tempo de 18 anos

Trama de Lícia Manzo tem como pano de fundo as desigualdades sociais do Brasil

Publicado em 28/10/2021 20:20
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Um Lugar ao Sol começa com Christian e Christofer perdendo a mãe no parto. Os personagens que, quando crescem, são interpretados por Cauã Reymond, serão o centro do drama exibido nos primeiros capítulos da trama de Lícia Manzo, que estreia dia 8 de novembro na Globo.

Após a morte da mãe, o pai, que está desempregado e sem condição de criar os meninos, descobre que um casal endinheirado, do Rio de Janeiro, está na cidade goiana onde a família mora. Os dois, a propósito, estão em busca de uma criança para adoção.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

O pai das crianças procura então Elenice (Lorena Comparato), que vai até a casa humilde e decide adotar apenas o menino mais saudável – Christofer, pois Christian tem a saúde frágil. “A criança é pequena demais para se lembrar de qualquer coisa”, responde ao marido quando questionada se não seria errado separar os irmãos.

Passagem de 18 anos

18 anos se passam e os irmãos completam a maioridade. Enquanto Renato (Cauã Reymond) – que antes era Christofer – acaba de ganhar da mãe, Elenice (Ana Beatriz Nogueira), o primeiro apartamento, Christian (Cauã Reymond) deve, por lei, deixar o lugar que acostumou-se a chamar de lar.

Christian sai do orfanato prometendo a Ravi (10 anos mais novo, seu irmão de coração), que voltará para buscá-lo quando o menino completar a maioridade.

Sozinho no mundo e precisando dar conta do próprio sustento, Christian emprega-se como caixa num pequeno mercado. Tenta em vão estudar nas parcas horas vagas, enquanto vê seu sonho de cursar uma faculdade ficando cada vez mais para trás…

Renato, por sua vez, não demonstra interesse pelos estudos – tampouco pelo trabalho – já que sempre teve tudo sem esforço. Seus pais, José Renato (Genezio de Barros) e Elenice, nunca estiveram de acordo sobre a forma de educá-lo.

Ao contrário da esposa, José Renato acredita que não deveriam ter omitido do filho a verdade sobre sua origem: “Quem sabe assim ele não daria valor às oportunidades que tem?”, questiona o pai.

Existência do irmão gêmeo

Inteligente e esforçado, Christian é reprovado no vestibular. Sem perspectivas na vida, volta ao orfanato em busca do nome de seu pai: “Alguma coisa ele me deve. Quem sabe ele não pode me ajudar?”.

Com o endereço de Ernani (Márcio Vito) nas mãos, o jovem segue em busca do pai, que o rechaça. Antes, porém, Ernani quer saber: qual dos filhos está diante dele? Christian ou Christofer?

De volta ao abrigo, inquirindo uma antiga funcionária, Christian confirma a existência do irmão gêmeo, adotado por um casal do Rio de Janeiro. No alojamento onde está hospedado, busca o recorte amarelado de uma página de revista, guardado numa caixa de sapatos.

Na foto, uma espécie de versão bem-sucedida de si mesmo: instalado na tribuna de honra do estádio do Engenhão, no Rio de Janeiro, vestindo camisa do Botafogo. A fotografia que Christian guardara, então, achando curioso que existisse no mundo alguém tão parecido com ele, súbito se converte em sua única pista…  

Ao mesmo tempo, no Rio de Janeiro, o pai de Renato sofre um infarto, e, antes de morrer, revela ao filho que o adotara. Inconformado, Renato confronta Elenice que mente dizendo que seu pai biológico e seu irmão gêmeo, Christian, estão mortos.

Desencontro

Com o recorte de revista nas mãos, Christian parte para o Rio de Janeiro, em busca do irmão. Renato, por sua vez, tomado pela revolta de descobrir que fora adotado, deixa o Brasil sem passagem de volta.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Deixe o seu comentário

Em Alta

Carregando...

Erro ao carregar conteúdo.

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio