Primeira vacinada pela CoronaVac desabafa, no Encontro: “Teve muito meme e me chamaram de cobaia”

Mônica Kalazans apareceu no centro do noticiário deste domingo

Publicado há uma hora
Por Renan Vieira
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A enfermeira Mônica Calazans, de 54 anos, a primeira brasileira vacinada em território brasileiro pela Coronavac, a vacina de origem chinesa, desenvolvida pelo Instituto Butatan, participou, nesta segunda-feira (18), do programa Encontro com Fátima Bernardes, da Globo. Diante de toda a emoção do fato histórico para o país, ela falou sobre um incômodo da exposição toda.

“Olha, é uma emoção ímpar. Eu não imaginava que iria ter essa repercussão que teve. O fato de eu ir lá tomar a vacina não foi com a intenção de aparecer, que o mundo inteiro ia me ligar, ia aparecer a minha foto. Não. Não foi com essa intenção. A minha intenção foi para salvar vidas. É a vacinação, Fátima. (…) Vai ajudar muita gente”, avaliou.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Em seguida, Fátima Bernardes valorizou o fato dela ser uma mulher que possui comorbidades, como hipertensão, diabetes e obesidade. Mas, mesmo assim, ela continuou na linha de frente, salvando vidas, cuidando de infectados, sabendo que ter Covid-19, poderia ser fatal. Mônica, então, revelou que sofreu com piadinhas, mas se manteve firme.

Mônica Calazans sendo vacinada com a CoronaVac (Reprodução/Globo)

“Eu falei ontem e repito, novamente. Teve muito meme. Olha, houve muitas críticas. Falaram, sim, que eu era cobaia, fizeram piadinhas. Mas é como eu falei ontem: ‘eu não sou cobaia. Eu sou participante de uma pesquisa’. Assim, o fato de ter participado foi por conta do meu irmão que teve Covid-19. Eu acreditei que essa situação ia ficar lá exterior, que não ia chegar no Brasil”, afirmou ela, que completou dizendo que a infecção de seu irmão a motivou.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio