Primeira eliminada de Mestre do Sabor avalia sua participação: “Momento de olhar para mim mesma”

A chef mineira Ana Gabi, do time de Kátia Barbosa, fala sobre o reality show

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Na última quinta-feira (13), em Mestre do Sabor, os times de Leo Paixão, Kátia Barbosa e Rafa Costa e Silva se enfrentaram na fase Na Pressão. Eles tiveram que preparar um menu completo, com entrada, prato principal e sobremesa, usando ingredientes básicos do dia a dia dos brasileiros.

Os participantes se inspiraram na trajetória do chef convidado João Diamante, que comanda o projeto social Diamante na Cozinha. Carioca, criado no Andaraí, na Zona Norte do Rio, João começou na culinária quando serviu na Marinha. O chef conseguiu uma bolsa para estudar e trabalhar na França e, de volta ao Brasil, se dedica a ensinar todo o ciclo da gastronomia, desde o plantio dos alimentos até a confecção de um prato.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

O time liderado pelo mestre Rafa Costa e Silva levou a melhor na primeira etapa, chamada Menu Confiança, e garantiu a imunidade para semana que vem. Na segunda rodada, a Batalha dos Cucas, os chefs dos times Leo Paixão e Kátia Barbosa cozinharam em uma prova individual.

Os mestres escolheram o prato executado pela chef Bia Pimentel, um escondidinho de caju com creme amanteigado de batata-salsa, blend de cogumelos e bacon, como vencedor. A chef mineira Ana Gabi, do time de Kátia Barbosa, não conseguiu finalizar seu prato, um escondidinho de abóbora e copa lombo, e acabou sendo eliminada. Ela conta sobre sua experiência no programa na entrevista abaixo.

Para você, o que significou participar da terceira temporada de Mestre do Sabor?

Ana Gabi – Significou muito, principalmente nesse momento da minha carreira, da minha profissão, da minha trajetória. A gente busca o tempo todo por desafios, por superação dentro da nossa profissão na cozinha. Pelo menos comigo isso funcionou muito. É algo que fugiu completamente da minha rotina, dos meus sonhos, estar nesse lugar de desafio. Então, foi um momento de olhar para mim mesma, de olhar para minha própria trajetória, e isso tem muito valor.

Conte um pouco sobre a troca com o mestre e os colegas de time, por favor.

Essa troca é algo muito significativo. Ali, todos estão vivendo um momento de muita tensão. Todo mundo passando por uma fase complicada de aprender a controlar as próprias emoções. E estar perto de pessoas que você admira e que você acredita faz muita diferença nesse processo. Eu tenho muita admiração por todos os mestres e tenho uma extrema admiração e respeito pelos meus colegas, principalmente pelos meus colegas do time da Kátia Barbosa, pela trajetória, pela história que cada um chegou ali para contar. Isso significou muito nas minhas vivências, nas minhas experiências. Fez muita diferença essa relação que foi criada com eles.

O que você leva dessa experiência? Mudaria algo na sua trajetória pelo programa?

O que eu levo de mais importante da minha trajetória no programa são justamente as relações criadas. A história de cada um me acrescentou muito em experiência de vida. E essa troca fez muita diferença. É algo que, possivelmente, vai durar para a vida toda. Certamente, não tem nada que eu mudaria na minha trajetória. Eu pensei muito sobre isso, se existia algo que eu pudesse ter feito diferente. Mas acontece que o objetivo principal para mim não era apenas chegar até a final, mas justamente criar novas vivências, novas experiências. Da forma como aconteceu foi o que me proporcionou vivenciar coisas diferentes e significativas para mim. No programa, eu fui exatamente quem eu sou. Eu sou uma cozinheira que tem, de fato, algumas dificuldades de simplificar alguns processos. Eu levo muito a sério o valor de cada preparo, de cada técnica que eu aprendi na vida. E, às vezes, transformar isso em algo mais simples, para que caiba dentro de 50 minutos, é algo que dificilmente eu conseguiria executar da melhor forma. E, mesmo isso me levando para um caminho de eliminação, me fez ter experiências e vivências que foram importantes. Isso tudo teve muito valor para mim.

O que acha que mudará na sua carreira após sua passagem pela terceira temporada de Mestre do Sabor?

Acho que duas coisas mudaram muito para mim. Primeiro é a visibilidade que o programa traz para a gente. Ter a oportunidade de contar a nossa história na TV traz uma visibilidade que é significativa no nosso trabalho e isso acaba nos dando o acesso a maiores possibilidades e relações de trabalho. E isso faz muita diferença em qualquer projeto que a gente está lidando. Outra coisa que mudou muito foi a oportunidade de conhecer tantas histórias diferentes ali dentro. Com certeza, a partir de agora, eu vou ser uma pessoa que consegue olhar para a história do outro com muito mais carinho do que eu já olhava antes.

Como ficam os times:

Leo Paixão – Aline Guedes, Bruna Martins, Cadu Moura, Carol Francelino, Pedro Barbosa e Rafa Ramos.

Kátia Barbosa – Bia Pimentel, Léo Modesto, Matheus Almeida, Pedro Franco e Vitória Gasques

Rafa Costa e Silva – Ana Carolina Garcia, Danilo Takigawa, Diogo Sabião, Ju Lima, Leninha Camargo e Rodrigo Guimarães

Mestre do Sabor tem direção artística de LP Simonetti e direção geral de Aída Silva. Sob o comando de Claude Troisgros, com Batista e Monique Alfradique, o programa conta com os mestres Kátia Barbosa, Leo Paixão e Rafa Costa e Silva na liderança dos times. Mestre do Sabor vai ao ar às quintas-feiras, após Império, na TV Globo, e às sextas-feiras, às 21h30, no GNT.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio