Primeira atriz trans de Malhação fala sobre repercussão do papel: “Extensão da minha voz”

Publicado há 2 anos
Por Felipe Brandão
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A participação em Malhação: Vidas Brasileiras foi um antes e um depois na carreira – e mesmo na vida – de Gabriela Loran. Primeira atriz transgênero a atuar em 25 anos do programa teen, ela interpretou Priscila, professora de dança que auxiliou Leandro (Dhonata Augusto) em suas performances dançantes.

A participação na trama global já aconteceu há vários meses. Mas ainda segue abrindo portas para sua intérprete. “A Malhação e a Priscila se tornaram uma extensão da minha voz como atriz, pensadora e formadora de opinião. A minha vida mudou para melhor porque eu tive mais acesso e as pessoas passaram a me conhecer. A mensagem também foi passada e atingiu famílias”, observa Gabriela, em entrevista ao site oficial da atração.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Gabriela voltou com Priscila à trama de Patrícia Moretzsohn nesta sexta-feira (29). Esse retorno não estava previsto. Aconteceu, porém, em virtude da boa aceitação da personagem e da questão inclusiva que ela celebra. “Quebrar tabus, debater assuntos como política, posar nua…tudo isso mostra que nós, mulheres, independente de sermos trans ou não, vivemos em uma sociedade machista. Nós temos que nos forçar a ocupar os espaços”, analisa a jovem atriz, que, aos 25 anos, vive emocionada a experiência do primeiro namoro.

“Estou muito feliz. A cada dia que passa, é um mundo novo. Às vezes eu me sinto uma garota de 15, uma adolescente, porque esse tipo de relação eu nunca vivi! É lidar com a diferença, é entender que o outro é diferente, e isso agrega. Estou tendo a experiência de um relacionamento saudável”, conta, sem revelar a identidade do escolhido.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregar mais