Posição política gera “racha” entre artistas da Globo; entenda

Publicado há 2 anos
Por Fabio Augusto
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

As discussões, brigas e desentendimentos causados por posicionamento político não acabaram com o fim das eleições no Brasil.

Pelo menos na Globo, tudo isso continua, agora com interferência direta nos bastidores dos programas da emissora.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

De acordo com o colunista Ricardo Feltrin, há um “racha” entre artistas pró e contra Jair Bolsonaro, eleito presidente no último dia 28 de outubro.

Quem é contra o político não quer trabalhar com aqueles que o apoiaram, fato que está gerando um “climão” nos bastidores.

Além disso, há quem pressione colegas acima e abaixo na hierarquia a se recusar a atuar com quem já declarou ser simpatizante de Bolsonaro.

Leia mais: Felipeh Campos tira o chapéu para Bolsonaro e diz: “Eu não acredito em homofobia”

“Racha” entre artistas

Segundo a nota do colunista, Regina Duarte tornou-se um dos maiores alvos dos “antibolsonaristas”.

Mesmo sendo uma das artistas do primeiro escalão da Globo, há muitos artistas que não querem contracenar com a atriz.

Vale lembrar que, durante a campanha eleitoral, Regina apareceu em uma foto com Bolsonaro e defendeu o presidenciável em uma entrevista ao Estadão.

Leia mais: Regina Duarte critica partido político e José de Abreu rebate: “Não consegue decorar texto”

Além disso, artistas que são chamados para as futuras produções do canal estão curiosos em saber com quem vão trabalhar.

Há um forte grupo que afirma não querer contracenar com “fascistas”.

Na linha de shows, quem sofre é Márcio Garcia, outro que mostrou seu apoio ao candidato do PSL.

Sendo assim, seu programa aos domingos, o Tamanho Família, não deve contar com uma nova temporada em 2019.

Já era discutida a exclusão da atração desde essa polêmica, e agora a chance de uma edição no ano que vem está praticamente descartada.

Leia mais: Regina Duarte surpreende e se manifesta sobre ter sido defendida por Maitê Proença

Musicais também são afetados

Da mesma forma, quem é contra o presidente eleito também quer distância de certos cantores que se mostraram a favor de Bolsonaro.

Muitos tem feito lobby para que programas de auditório e musicais não convidem mais artistas como Zezé Di Camargo, Gusttavo Lima, Ferrugem, Eduardo Costa, entre outros.

Embora a Globo nunca tenha discriminado nenhum artista por posição política, o “racha” é uma novidade entre os artistas de seu elenco.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio