“Policial também cozinha”, diz Capitã da PM, vencedora do MasterChef

Karoline disse que não vai abandonar a carreira de polícia após vencer o programa

Publicado há 25 dias
Por Cadu Safner
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

O MasterChef desta terça (1) sagrou Karoline, de 37 anos, a 8ª grande campeã da atual edição. Capitã da PM, ela contou em entrevista ao portal da Band, que a gastronomia é uma paixão antiga que ganhou força nos últimos anos. “Por baixo de toda farda tem uma pessoa que gosta de muitas outras coisas”, explicou.

Karoline teve desempenho mediano na primeira prova ao fazer um carbonara com frutos do mar. Na segunda fase o destaque foi bacalhau com batatas ao murro e legumes que garantiu elogios dos jurados. “Seu prato roubou os nossos corações, não tem uma vírgula que tiraríamos do lugar. Parabéns“, disse a chef Paola Carosella.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

O policial militar é visto como alguém blindado e sem sentimento, mas a minha vitória mostra o contrário. Nós somos pessoas que cuidam de pessoas e estar aqui é mostrar que policial também é gente e gosta de cozinhar”, explicou a profissional. 

Nascida em São Paulo, Karoline mora há 7 anos no Guarujá, litoral do estado, com o marido, Magalhães, e 5 cachorros que tem como filhos. Na cozinha, tudo começou quando ela ainda morava com os pais e assistia programas de culinária na TV.

Comecei copiando receitas, principalmente de doces, e peguei gosto. Quando ainda estava no colegial, era eu que fazia os pratos diferentes em casa. Minha mãe, excelente cozinheira, preparava o trivial”, explica. 

Além disso, sempre ao viajar, prestava muita atenção na gastronomia de cada lugar pra tentar fazer igual. Agora, vivendo perto da praia, cozinho muito mais peixe e frutos do mar do que antes”, pontua. A partir de agora, Karoline busca especialização e mira uma possível carreira na gastronomia.

Quero me especializar, aprimorar o que eu sei e aprender muito mais. Em um futuro próximo, desejo  ter um negócio meu, quem sabe uma risoteria ou uma casa de massas. Em um primeiro momento, não pretendo sair da polícia, mas ainda não sei quais portas vão se abrir. O que sei é que o meu coração sempre foi da gastronomia e agora, não consigo acreditar na vitória, quero que alguém me belisque para provar que é real”, revelou ela.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregar mais