Patrícia Abravanel tira o chapéu para Bolsonaro e afirma: “Toda autoridade é colocada no poder por Deus”

Publicado há um ano
Por João Paulo Reis
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Convidada do Programa Raul Gil deste sábado (10), Patrícia Abravanel esteve no quadro Pra Quem Você Tira o Chapéu, e causou polêmica ao tirar o chapéu para o presidente Jair Bolsonaro. Mesmo com certo desagrado da plateia, ela explicou sua decisão, afirmando que torce apenas para o sucesso do país independente de quem esteja no poder.

“Tiro o chapéu. Primeiro
porque ele é o nosso presidente, e acho que toda autoridade é colocada no poder
por Deus. A gente tem como brasileiro torcer para que ele dê certo. Eu não acho
que nenhuma pessoa sai de casa pensando em fazer coisa errada. Ninguém acorda
pensando ‘hoje vou tomar essa decisão, vai dar tudo errado, vou destruir a vida
de um monte de gente’, ninguém acorda para isso. Como brasileiros temos que
incentivar, que torcer, que orar para que ele tome boas decisões e seja
brilhante nesse governo atual. Temos que estar torcendo por ele”
.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Quando o apresentador Raul Gil relatou que o presidente era a esperança do país, Patrícia continuou. “Estou vendo algumas pessoas assim (na plateia), mas a gente tem sim que tirar o chapéu, e mais do que isso, pedir a Deus para que ele tome boas decisões, e a primeira foi agora. A previdência foi liberada, não é algo tão popular, mas para o Brasil vai ser bom, a gente depois vai ser grato por essas coisas que estão acontecendo. Boa sorte Bolsonaro”.

SBT e a política

A
apresentadora ainda falou sobre as posições políticas da emissora. “O SBT ele é muito pró-governo, independente
do governante. A gente acredita que temos que estar ali apoiando. O meu pai
sempre apoiou, era o Lula, o Temer, então acho que a gente tem que estar perto
dos nossos governantes para eles poderem sim tomar boas decisões. Para que a gente
acredite neles, e torça por cada um deles. Então eu, como meu pai, somos
pró-governo, sempre. E se eles fizerem alguma coisa errada, claro que a gente
pode puxar a orelha, mas temos que ser pró-governo”
.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregar mais