Orgulho e Paixão: Darcy e Elisabeta se desentendem seriamente

Publicado há 3 anos
Por Renan Vieira
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

O clima de tensão entre Elisabeta (Nathalia Dill) e Darcy (Thiago Lacerda) culminará praticamente no fim do relacionamento dos dois, em Orgulho e Paixão, da Globo. Ambos se desentenderão outra vez depois que ele pedi-la em casamento e ela recusar. As diferenças entre ambos ficarão mais evidentes e perceberão que não têm futuro juntos. Confira.

“Sim… Você é difícil… Mas de algum modo, mesmo assim, mesmo contra toda a minha razão, contra minha própria personalidade mais discreta e quieta, eu me apaixonei por você e acabei de te pedir em casamento apenas pra ser renegado!”, dirá Darcy.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Veja também: Irada, Julieta promete pacote de vingança no Vale do Café, em Orgulho e Paixão

“Pois folgo em saber que já que você me ama a despeito de sua própria personalidade, de sua vontade mesmo, talvez seja agora mais fácil superar esse meu não ao seu pedido. Será fácil desgostar de mim com todos esses meus defeitos!”.

“Me desculpe! Eu fui bruto, grosseiro, insensível. Porque eu descobri que te amo não apesar disso tudo, mas por causa disso tudo também, eu… São desculpas sinceras, Elisabeta!”. “Podem ser sinceras usando a razão. Mas não são sinceras no que você sente de verdade”.

“Como você pode dizer isso? Estou aqui a seus pés…”. “E como senhor soberano que é, acha que uma moça de classe inferior como eu deve aceitar a tábua de salvação que você representa. E até festejar essas desculpas. Porque afinal de contas, é uma honra receber uma reparação ou um pedido de Darcy Williamson!”.

“Eu sou resultado do meu meio. Como você é do seu. Não fugimos disso… Lamento…”, argumentará o galã. “Lamente mesmo. Depois de tudo que ouvi aqui, você me fez relembrar tudo que senti quando te conheci: seu orgulho e seu preconceito”. “Tenho certeza de que, ao menos pra você, não fui só isso”.

“Posso dizer que no começo, no primeiro momento em que te vi, a sua maneira de ser foi tal que me impressionou com sua arrogância, seu desprezo e seu desdém egoísta pelo sentimento dos outros. Mas depois me enganei, me iludi, tomei isso por sinceridade. Como você alega que foram suas palavras hoje. Sinceras. Mas se isso é mesmo seu conceito de sinceridade, sinto que você seja o último homem do mundo com quem eu possa me casar”, afirmará Elisabeta.

“Você já disse o bastante. Compreendo seus sentimentos. E agora só me envergonho dos meus. Perdoe-me por ter ocupado tanto seu tempo. E fique com meus melhores desejos para a vida que você tanto almeja”, concluirá Darcy.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio