Órfãos da Terra traz mensagem de empatia com história de amor que rompe fronteiras e une mundos

Publicado há 2 anos
Por João Paulo Reis
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Diversas culturas, crenças, sonhos, sotaques e uma só nação, o Brasil. Em Órfãos da Terra, o casal Laila (Julia Dalavia) e Jamil (Renato Góes) desembarca no país para tentar viver o amor que os uniu ainda no Oriente Médio. Ela, uma refugiada. Ele, empregado de um poderoso sheik (Herson Capri). Homem que tomou Laila, à força, como uma de suas esposas. Surpreendidos pela paixão e fugindo de uma nação em guerra, os dois unem forças para tornar esse amor possível. E o destino os leva para um país que tem por tradição o acolhimento e o convívio pacífico com as diferenças.

No pano de fundo dessa história de amor, o universo de pessoas de diversos lugares do mundo. Refugiados de guerras, de conflitos políticos ou deslocados por razões econômicas ou acidentes naturais. A novela vai mostrar que essas pessoas vêm e continuam vindo para o Brasil para recomeçarem suas vidas. E enfrentando muitas adversidades. Mas trazendo um patrimônio cultural que nos enriquece e constitui. Uma só ancestralidade vivendo sobre a mesma terra.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Na Síria, em um dia de alegria e de celebração para a família Faiek, Laila vê seu destino mudar repentinamente. Um bombardeio os atinge, transformando a vida de uma família estruturada e bem-sucedida em pesadelo. Com a casa em ruínas e a fictícia cidade de Fardús em guerra, a jovem estudante Laila e sua família – o pai Elias (Marco Ricca), a mãe Missade (Ana Cecília Costa) e o irmão Kháled (Rodrigo Vidal) – são forçados a deixar a Síria em direção ao Líbano, para fugir do conflito e ter a chance de tratar Khaled, gravemente ferido.

Faiek

De posse do pouco que lhes restou, em dinheiro e pertences, os Faiek vão parar em um campo de refugiados, em Beirut. Lá, Laila cruza olhares com Jamil Zarif. O rapaz está no campo, acompanhando o patrão, o sheik Aziz Abdallah, em busca de mão de obra para suas empresas.

Mas, assim como Jamil, Aziz também se interessa por Laila e, acostumado a comprar tudo que deseja, oferece ao pai da jovem um contrato de casamento que pode salvar sua família da penúria. Elias recusa a proposta. Mas o estado de Kháled se agrava e Laila se oferece em sacrifício, em troca do tratamento do irmão. Contudo, logo após a cerimônia de casamento, a jovem fica sabendo que o irmão não resistiu à cirurgia. Laila, então, deixa a mansão do sheik na noite de núpcias, antes de o casamento ser consumado. Reencontra a família e, com eles, traçam um plano de fuga para São Paulo, no Brasil. Lugar onde os Faiek têm parentes.

Sem saber que a esposa fugitiva do patrão é justamente a mulher por quem se apaixonou no campo de refugiados, Jamil é surpreendido por uma missão. Embarcar num navio com destino ao Brasil e trazer de volta para Beirute a mulher que Aziz acredita ser sua propriedade. Antes, porém, de embarcar, Jamil descobre que essa mulher é a sua Laila. A paixão intensa e inesperada que une o casal é maior do que o compromisso que Jamil assumiu com Aziz. Casar-se com a ardilosa Dalila (Alice Wegmann). Ela é a filha preferida de seu patrão.

Enredo

“Com a história do casal protagonista, veremos como o amor tudo supera, rompendo fronteiras e unindo vidas. O grande tema dessa novela é a empatia”, afirma a autora Thelma Guedes. “Antes da guerra, esses personagens tinham uma estrutura familiar, financeira e social constituída, e que foi repentinamente destruída. Eles chegam em nosso país dispostos a começar um novo capítulo de suas vidas com uma esperança e entusiasmo que permeiam toda a trama”, complementa a autora Duca Rachid.

 

O início das gravações

Sob o comando do diretor Gustavo Fernandéz, no início do mês de janeiro, a equipe da novela começou os trabalhos em Petrópolis, no Palácio Quitandinha. E na cidade do Rio de Janeiro, em bairros da Zona Norte e no centro da cidade. “É muito bom poder participar de um projeto que apresenta um texto consistente e núcleos tão diversos e ricos que vão exigir da direção atenção e cuidado para retratar toda essa pluralidade”, afirma Gustavo, que assina a sua primeira direção artística em Órfãos da Terra.

Os protagonistas Renato Góes, Júlia Dalávia, e os antagonistas Herson Capri e Alice Wegmann participaram das primeiras gravações. Além de outros nomes do elenco, como Ana Cecília Costa, Marco Ricca, Letícia Sabatella, Bruno Cabrerizo.  Ainda, Alan Souza Lima, Kaysar Dadour, Darília Oliveira e Yasmin Garcez. As gravações da novela continuam em externas nas ruas de São Paulo e no porto de Santos.

Com estreia prevista para o primeiro semestre de 2019, a próxima novela das seis, Órfãos da Terra, é uma obra de Duca Rachid e Thelma Guedes. Escrita com Dora Castellar, Aimar Labaki e Carolina Ziskind e com a colaboração de Cristina Biscaia. A novela tem direção artística de Gustavo Fernandéz. Direção geral de André Câmara e direção de Pedro Peregrino, Alexandre Macedo e Lúcio Tavares.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregar mais