Oi, Glória Perez? Remake de O Privilégio de Amar falará sobre tráfico de mulheres

Publicado há um ano
Por Felipe Brandão
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Esqueçam a história da jovenzinha inocente que se envolve com um seminarista e amargura-se por ter de abrir mão do fruto desse amor proibido. A produtora Carla Estrada promete inovar – e muito! – na recriação que está preparando para um dos maiores clássicos de seu currículo: a novela O Privilégio de Amar, produzida pela Televisa em 1998 e exibida no ano seguinte pelo SBT, com direito a três reprises posteriores.

O jornalista mexicano Alex Kaffie revelou, através de suas redes sociais, que esta nova versão da saga sofrerá profundas modificações em relação à sinopse que o público já conhece. “Não terá nada com a história que vimos há anos. Agora, a coluna vertebral da trama será o tráfico de mulheres“, revelou ele.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Há algum tempo, a produtora Carla Estrada já havia adiantado algumas modificações que O Privilégio de Amar sofreria nesta reedição, adaptada em 30 capítulos dentro do projeto Fábrica de Sueños. Ela contou, por exemplo, que a protagonista já não seria mais uma aspirante modelo, e seu pai tampouco seria sacerdote.

Recentemente, foi confirmado o nome de Lucero (A Dona) como a protagonista madura da história. Além dela, já estão escalados os nomes de Carlos Ferro, Ernesto Laguardia (Lágrimas de Amor), José Manuel Figueroa e Gabriel Soto (Querida Inimiga). As gravações da trama devem começar em fevereiro, para estrear ao longo de 2020.

A trama

O Privilégio de Amar centrava-se na história de Cristina (Adela Noriega), uma jovem que sonhava em ser top model e acabava conseguindo uma oportunidade no ateliê da exigente e implacável Luciana Duval (Helena Rojo). A relação das duas azedava depois que Cristina se envolvia com o enteado de Luciana, o sedutor Vítor Manuel (René Strickler). No decorrer da história, as duas protagonistas descobriam que, além de patroa e empregada, eram mãe e filha.

A história já rendeu outras versões conhecidas. A primeira foi Cristal, produzida pelo SBT em 2006, com os brasileiros Bianca Castanho, Dado Dolabella e Bete Coelho nos papéis principais. A segunda é Triunfo do Amor, rodada em 2010 pela própria Televisa e ainda inédita por aqui. Maite Perroni, William Levy e Victoria Ruffo protagonizaram na ocasião.

Com informações da revista People en Español.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio