Obesidade mórbida é o tema do Câmera Record deste domingo

O programa retrata o drama de brasileiros com mais de 300kg

Publicado há uma hora
Por André Santana
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Neste domingo (17), o Câmera Record vai apresentar a história de brasileiros com mais de 300kg que não conseguem perder peso e, além de enfrentar problemas de saúde, lidam com comentários maldosos nas ruas. Esses são exemplo de uma situação que cresce a cada ano Brasil, o aumento da obesidade.

Segundo uma pesquisa do IBGE, entre 2002 e 2019, o percentual de pessoas obesas em idade adulta mais que dobrou no país: foi de 12,2% para 26,8%. “Vida moderna, as facilidades que nós temos, acesso à comida rápida, industrializada. Muitas coisas estão mudando no mundo, do ponto de vista de ganho de peso, para pior”, explica o endocrinologista Malebranche da Cunha Neto, do Hospital Moriah.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Em plena pandemia, uma operação de resgate, que contou com uma ambulância e nove bombeiros, foi a única forma encontrada para salvar Rogélia de seu maior inimigo: a obesidade. Por causa do peso, ela vive há quatro anos sem sair da cama.

A professora aposentada mora no Rio de Janeiro e não consegue se lembrar de um período da vida em que não tenha sofrido por causa dos quilos a mais. Ainda criança, Rogélia já usava roupas com tamanho de adulto. “Eu nunca fui magra. Eu lembro que, aos 6, 7 anos, eu vestia jeans 46, 44”, conta. Hoje, especialistas acreditam que ela tenha passado dos 300 quilos – por causa dos problemas de locomoção, é difícil conseguir pesá-la.

Nesta jornada para emagrecer, ela tem todo o suporte do marido, Roberto. Os dois se conheceram pela internet. Na época, ele sofria de gastrite e pesava em torno de 47 quilos. Ela estava com 127. A diferença não impediu que um sentimento forte surgisse. “No primeiro momento em que eu vi a Rogélia, foi aquela coisa de alma gêmea mesmo. Independente do corpo, algo mais profundo”, relembra.

Nem todos os olhares entenderam este amor. “Já fizeram piada comigo e com ela na rua. A Rogélia ficava triste com isso”, conta o marido. Chateada, ela comia mais e mais. Com 135 quilos, ainda encarou uma gravidez de risco. A filha nasceu saudável, e hoje está com 15 anos. Mas a mãe nunca parou de engordar. “Eu fui a quase 200, fui a 190 kg. E aí começou a minha luta. A obesidade me paralisou”, diz.

A pouco mais de 200 quilômetros dali, um homem enfrenta um desafio parecido: diminuir os números na balança que já acusa mais de 300 quilos. Jorge só conseguiu se pesar depois que a equipe do Câmera Record localizou uma balança industrial na cidade onde ele mora – Cruzeiro, no interior de São Paulo. Foi em maio do ano passado e o equipamento mostrou que ele estava com aproximadamente 307 quilos.

Oito meses depois, a equipe encontra Jorge. Ele agora recebe acompanhamento especializado. “Estou comendo muito menos do que eu comia, as besteiras, bobeiras”, diz. Mas o que mudou mesmo foi a rotina em família. Após a exibição do programa que mostrou seu caso, ele reencontrou um amor antigo, Monique. “Depois da reportagem que eu vi ele na televisão, eu comecei a conversar com a mãe dele. Eu queria ajudar, arrumar uma forma, sabe?”, ela conta. O Câmera Record conta como foi este reencontro.

O Câmera Record vai ao ar domingo (17), às 23h15. A apresentação é de Luiz Fara Monteiro.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio