O Tempo Não Para: Após matar Emílio, cobra coral coloca a vida de Damásia em risco

Publicado há 2 anos
Por Guilherme Rodrigues
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Nos próximos capítulos de O Tempo Não Para, Damásia (Aline Dias) correrá um sério risco de morte, já que a cobra coral que matou Emílio (João Baldasserini) estará na cozinha do restaurante da Samvita. A jovem sentirá falta de seus companheiros, já que o lugar ficará vazio após os funcionários serem avisados da presença da peçonhenta.

Leia: O Tempo Não Para: Marocas ficará em pânico ao descobrir que Emílio morreu: “Era eu quem poderia estar à morte agora”

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

“Cadê esse povo que não volta mais… Vou ter que cozinhar sozinha hoje?”, sentenciará a jovem cozinheira. A ex-escrava não perceberá, mas a cobra estará próxima de seus pés. “Damásia… Fique onde está. Faça exatamente como eu lhe digo… Não se mova.Por favor… Não olhe para o chão”, dirá Dom Sabino, alertando a jovem.

Saiba mais: O Tempo Não Para: Samuca pede Marocas em casamento e ela diz sim: “Eu também o amo infinitamente, Samuel”

“O que tá sucedendo, Dom Sabino? Ué, por quê?Minha Nossa Senhora!”, relatará Damásia, que soltará um grito de desespero, ao vir a cobra coral. “Acalme-se, Damásia… Não grite outra vez”, pedirá o pai de Marocas (Juliana Paiva).

A peçonhenta…

A cozinheira pedirá a Dom Sabino que tire a peçonhenta de perto dela. “Tira esse bicho daqui, Dom Sabino”, sentenciará a jovem. Dom Sabino conseguirá pegar a cobra, colocando uma peneira em cima dela. Depois, ele colocará a coral em um pote.

“A víbora veio até aqui atraída pelo calor do fogão.Pronto, pronto… Já passou… Vamos sair daqui”, concluirá Dom Sabino, que salvará a vida da jovem. “Meu pai… Está tudo bem?”, perguntará Marocas. “Não há mais perigo, minha filha!…A víbora foi capturada!”, finalizará Dom Sabino, deixando os funcionários da Samvita, aliviados.

O Tempo Não Para é uma novela escrita por Mario Teixeira, com colaboração de Bíbi Da Pieve, Marcos Lazarini e Tarcísio Lara Puiati, com direção artística de Leonardo Nogueira e direção geral de Marcelo Travesso e Adriano Melo.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio