O Outro Lado do Paraíso: Sophia manda Rato atropelar Raquel: “Preciso tirar a juíza de circulação”

Publicado em 20/12/2017

Inconformada por não conseguir ‘comprar’ Raquel, Sophia quer tirar a juíza de cena em O Outro Lado do Paraíso.

A vilã não quer correr o risco de perder a guarda do neto para Clara (Bianca Bin) e como o processo será julgado pela nova juíza, ela diz para Gustavo (Luís Mello) que vai dar um jeito para que ele fique com o caso. A mãe de Gael (Sérgio Guizé) procura Rato (César Ferrário) para ajudá-la no caso. “Eu preciso dos teus serviços, Rato. Daqueles que você fazia antigamente. Por isso vim à noite, pra conversarmos a sós, sem gente em volta”, pede.

A vilã vai mostrar para o capanga a foto da mulher. “Uma juíza? Mas é aquela que deu voz de prisão pra senhora”, diz o rapaz ao ver a imagem. “A própria. Essa mulher já atrapalhou e pode atrapalhar ainda mais a minha vida. Um acidente é o ideal. Preciso tirar essa juíza de circulação”, diz ao empregado. “É só dizer como prefere o serviço”, acata Rato. “Tem que passar por acidente. Um atropelamento… Vou botar um dinheiro na tua conta. Consiga um carro, oculte a chapa. Depois do serviço feito, dê fim no carro”, orienta.

O Outro Lado do Paraíso: Gael apanha na cadeia e pede ajuda de Sophia

Rato diz à patroa que no Jalapão tem o lugar certo para dar sumiço nas pistas. “Posso até jogar o carro num rio. Qual a pressa?”, pergunta. “A vantagem é que temos algum tempo. No dia certo, acelera, atropela e tira do meu caminho”, manda. “Se é juíza, dona Sophia, vai ter que pagar mais. Com autoridade não se brinca”, avisa. “Pago o que for necessário. Só preciso que pareça um acidente. A rotina dela é simples. Chega de manhã no fórum, sai no final da tarde”, resume a vilã. “Eu sigo de longe, vigio. Pra no dia certo, saber a hora certa. Deixa comigo”, promete o capanga, que passa a ficar na cola de Raquel.

E Mercedes vai saber que alguma coisa de muito ruim está para acontecer. “Clara, espera. As vozes…”, diz a vidente, assustando a mocinha. “É sobre mim, dona Mercedes? Sobre o processo de guarda do meu filho?”, quer saber. Segurando na mão da mocinha, Mercedes vai dizer: “Tem sangue. Eu vejo sangue, Clara”. A mocinha quer saber se o filho vai sofrer um acidente. “Teu filho não. Um anjo da guarda, sim. Um anjo vai sofrer um acidente. Meu Deus. Clara, não devia ter entrado com esse processo agora, não devia”, diz a velha, deixando Clara angustiada.