O Outro Lado do Paraíso: Adriana acusa Duda por morte de Natanael: “Eu nunca vou perdoá-la”

Publicado há 3 anos
Por Nucia Ferreira
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Depois da tentativa frustrada de matar Duda (Glória Pires), Natanael (Juca de Oliveira) não vai desistir de tirar a ex-nora do caminho em O Outro Lado do Paraíso. Ele vai aproveitar o casamento de Laura (Bella Piero) para fazer uma visitinha surpresa à casa de Clara (Bianca Bin), já que a hóspede estará lá sozinha.

Quando chegar na casa, o advogado vai ameaçar Duda com uma arma e os dois terão uma discussão acalorada, cheia de mutuas acusações. Quem vai ouvir toda a história suja do pai é Henrique (Emilio de Mello), que chegará no local e impedirá que o advogado atire na mulher. Nervoso, Natanael humilhará o filho por ele ter se casado com Duda, uma mulher sem classe, no passado. No meio da discussão, o advogado passa mal e tem um infarto. No hospital, Renato (Rafael Cardoso) dará a notícia da morte do paciente à família, deixando Adriana (Júlia Dalavia) inconformada.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

O Outro Lado do Paraíso: Natanael tenta assassinar Duda e acaba morto

A advogada vai acompanhar Patrick (Thiago Fragoso) até a casa de Clara e ele dirá que Natanael morreu. “Não diga que sente muito, porque não sente”, diz Adriana à Duda. “Não fale assim com ela. É sua mãe, e eu também sou filha dela. Descobri recentemente. Sim, Adriana, somos irmãs”, diz Clara, defendendo a mãe. Adriana vai lembrar da história contada no tribunal e até gostará de saber que é irmã de Clara, mas continuará cheia de magoa da mãe.

Duda vai dizer que já esperava por isso. “Tinha certeza que não seria uma visita agradável”, diz. “Ainda bem que tem consciência do que fez”, rebate a jovem advogada. “O que eu fiz?”, pergunta Duda.
“Matou meu avô. Eu amava, adorava, idolatrava meu avô. Você o matou… Foi um crime sem arma”, acusa. “Ele queria me matar. Veja. Trouxe esse revólver”, mostra. Adriana examina a arma e diz que é um revólver de brinquedo encontrado na casa que alugou.

“Então ele queria me assustar. Queria que eu tivesse outro ataque, mas meu coração resistiu. Entretanto, ele, diante da verdade, teve o ataque que seria para mim”, deduz Duda. “Ele teve o ataque que você provocou”, continua acusando. “Não, filha, não”, defende-se Duda. “Não me chame de filha. Você foi responsável pela morte de meu avô. Eu nunca vou perdoá-la. Nunca!”, afirma Adriana.

 

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio