Novela O Tempo não Para fará críticas ao descaso com o Museu Nacional

Publicado há 2 anos
Por Fabio Augusto
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A novela O Tempo não Para é muito elogiada pelo texto afiado e coerente, que faz boas críticas sociais em tom cômico.

De fato, a comparação da época dos ex-congelados com os tempos modernos é frequente, mostrando que nada mudou mesmo após séculos.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Sendo assim, temas como racismo e desigualdade estão sempre nas falas de personagens como Marocas (Juliana Paiva) e Dom Sabino (Edson Celulari).

É nessa linha que a trama das sete abordará o descaso ao Museu Nacional,  bem como à cultura nacional em geral.

A crítica acontece durante uma visita de Marocas, Miss Celine (Maria Eduarda de Carvalho), Menelau (David Júnior) e Cesária (Olívia Araújo) ao Rio de Janeiro.

Leia mais: Ratinho critica Globo e SBT ao falar sobre incêndio do Museu Nacional: “Tão falando agora que pegou fogo”

O Tempo não Para critica descaso com o Museu Nacional

Conforme o roteiro da novela, Marocas pretende fazer uma pesquisa para saber se Dom Sabino é mesmo considerado um criminoso de guerra.

A mocinha está sendo chantageada por Emílio (João Baldasserini).

O vilão falsificou documentos para acusar o magnata, tudo para se casar com Marocas.

Assim, a filha de Agustina (Rosi Campos) decidirá ir ao Instituto Histórico Geográfico Brasileiro (IHGB) procurar arquivos sobre o pai.

Da mesma forma, ela decide conhecer melhor o Rio de Janeiro e o Museu Nacional.

Leia mais: Incêndio de Museu Nacional afeta novela da Globo; entenda

Porém, tanto Marocas quanto os amigos ficarão surpresos ao ver o estado do local após o incêndio.

“Que tragédia. A antiga residência Imperial completamente destruída. Um tesouro arqueológico com relíquias de vários povos antigos. Quase tudo reduzido a pó”, lamentará a heroína.

Já Miss Celine lembrará do descaso dos governantes com a memória do país.

“Esse é o cuidado que os governantes de hoje dedicam à nossa história”, criticará a professora.

“Como querem construir um futuro melhor se não são capazes de preservar a memória de um povo?”, completará Marocas.

As cenas estão previstas para irem ao ar dia 27 de outubro em O Tempo não Para.

Vale lembrar que o Museu Nacional foi atingido por um incêndio de grandes proporções no dia 3 de setembro.

Sem dúvidas, foi uma grande tragédia – com causa ainda desconhecida – que destruiu cerca de 20 milhões de itens históricos.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregar mais