Mais do que você gosta.
Assine o Star+
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
PRIMEIRA-DAMA

Nos Tempos do Imperador: Elisa Lynch, papel de Lana Rhodes, cavou a sepultura de Solano López

Personagem real marcou a história do Paraguai

Publicado em 08/11/2021
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio

A atriz Lana Rhodes entrou em Nos Tempos do Imperador para dar vida à Elisa Lynch, esposa do general Solano López (Roberto Birindelli). Assim como muitas outras, essa personagem realmente existiu. Ela foi a primeira-dama do Paraguai, liderado por seu marido entre 1862 e 1870.

Há muita curiosidade sobre o que pode-se esperar de Elisa na novela das seis, afinal, uma das teorias envolvendo o estopim para a Guerra do Paraguai é que Solano López quis se vingar por não ter conseguido casar com Isabel (Giulia Gayoso). Desse modo, a liberdade poética dos autores pode encaminhar para uma trama que envolva ciúmes da esposa do ditador paraguaio ou algo do tipo.

Continua depois da publicidade
Não foi possível carregar anúncio

Por ora, o que podemos ressaltar é que Elisa Lynch, de origem irlandesa, foi trazida para a América Latina pelo próprio militar, que prometeu transformá-la em Imperatriz. Moderna e atualizada, era adepta das táticas de guerra da época e por isso foi uma forte apoiadora do marido quando se iniciou a movimentação para a Guerra do Paraguai.

Determinadas fontes históricas garantem que Elisa era uma mulher de opinião forte e imponente, e no contexto dos conflitos, ficou responsável por todos os saques de altos valores. Outras, em maioria paraguaias, expressam gratidão à primeira-dama, caracterizada como alguém de grande bondade e que até mesmo liderava ações para ajudar as vítimas dos combates.

Mas uma das mais expressivas curiosidades envolvendo a personagem de Lana Rhodes em Nos Tempos do Imperador, é o fato dela ter cavado a própria sepultura de Solano López e de um dos filhos do casal. Para isso, ela teria contado com a ajuda da filha caçula. O general foi morto ao final da Guerra do Paraguai, em 1870, após ser perseguido e capturado pelas tropas brasileiras. Para muitos paraguaios Elisa Lynch é considerada heroína nacional.

Leia também: Ditador Solano López e a Guerra no Paraguai: como foi o conflito sangrento que Nos Tempos do Imperador vai mostrar

Publicidade
Não foi possível carregar anúncio

Deixe o seu comentário

Em Alta

Carregando...

Erro ao carregar conteúdo.

Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
Publicidade
Posting....