No The Noite, Taynara Conti fala sobre sua trajetória na WWE: “Não era fã de luta”

Publicado há 2 anos
Por Greicehelen Santana
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

No The Noite desta terça-feira (18), Danilo Gentili conversa com Taynara Conti, primeira sul-americana a ser uma estrela da WWE. No palco do programa, ela diz já ter perdido as contas de suas vitórias na luta livre profissional.

Veja também: Nego do Borel é fotografado em clima de intimidade com loira misteriosa

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

“Não conto. A gente viaja bastante. Tem show toda quinta, sexta e sábado, acabo perdendo as contas”, diz. Sobre o início de sua carreira na modalidade, declara: “estou começando. Eu não era fã da luta, para falar verdade eu nem sabia o que era”.

Taynara conta que fotos sensuais dela usando kimono foram responsáveis por despertar a atenção da WWE, levando-a a conhecer o esporte. “Tinha preconceito por não conhecer e é isso que quero mudar aqui no Brasil”, afirma.

Sobre os vídeos de suas lutas, explica: “a gente é atleta e também tem que atuar. Além dos treinamentos eu tenho aula de teatro”. “Tentaram me colocar como a boazinha, mas nunca funcionou porque eu sou ruim por dentro”, brinca ela sobre seu perfil nos ringues. “Peguei uma época muito boa, aonde homens e mulheres têm as mesmas oportunidades”, conta.

Ainda no The Noite

Na mesma noite, Gentili também recebe os integrantes da banda Malta. Luana Camarah, Thor Moraes, Adriano Daga e Diego Lopes falam sobre a entrada da vocalista no grupo. Os artistas ainda contam que ela foi escolhida entre 900 candidatos.

“Não foram 900 vocalistas de fato, mas 900 pessoas participaram”, brinca Thor. Eles falam sobre a participação do grupo na première do filme Bohemian Rhapsody e a emoção de cantar músicas de Freddie Mercury. “Somos fãs, mas tivemos a responsabilidade de tirar as músicas fielmente”, diz Luana.

Eles também falam sobre os novos rumos da banda e o novo single, Manipulação. “Exploramos esse lado mais pesado”, diz Adriano. “Estamos querendo resgatar essa veia rock and roll”, completa Luana. “E divulgar a música como ela foi feita, porque nos falavam: ‘não quer fazer essa versão no violão?’”, finaliza Thor.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio