No Programa do Porchat, Rubens Barrichello fala sobre a pressão sofrida após a morte de Ayrton Senna

Publicado há 3 anos
Por João Paulo Reis
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Com mais de 300 corridas de Fórmula 1 no currículo, Rubens Barrichello tem muitas histórias para contar sobre a sua passagem pelo automobilismo. Em entrevista para o Programa do Porchat que vai ao ar hoje, dia 09/05, o piloto brasileiro relembra, por exemplo, a prova no circuito de Ímola, no ano de 1994, que resultou na morte de Ayrton Senna, grande ídolo do país na modalidade.

No mesmo fim de semana daquela competição, Rubinho, como é mais conhecido, também havia sofrido um acidente. Sobre a pressão por resultados que sentiu pós-Senna, ele garante que era como ter um elefante nas costas. O atleta ainda revela como era a sua relação com o piloto alemão Michael Schumacher.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Leia também:  Ritmos e temperos baianos tomam conta da festa de Segundo Sol

O brasileiro, que formou dupla com ele na Ferrari, tenta explicar ao apresentador Fábio Porchat o que aconteceu durante o GP da Áustria, em 2002, quando, a mando da equipe, deu passagem para o companheiro vencer a disputa na última curva do circuito. Rubinho também conta se gosta de dirigir no trânsito das cidades brasileiras e comenta a emoção que sentiu ao ter um de seus filhos dirigindo um carro de competição em alta velocidade ao seu lado. Os outros convidados da noite são os sertanejos Edson e Hudson.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio