No elenco de Malhação: Toda Forma de Amar, Hugo Moura fala sobre carreira: “Eu já tentei desistir”

Publicado há 2 anos
Por Henrique Carlos
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Na próxima segunda-feira (14), estreia a próxima temporada de Malhação, que tem como subtítulo Toda Forma de Amar. A trama terá Hugo Moura como Daniel, um professor de Muay Thai, que se dedica a ajudar crianças carentes através do esporte. O ator está longe das novelas desde sua participação em Segundo Sol.

Em entrevista ao Observatório da Televisão, Hugo falou sobre o novo personagem e ainda contou detalhes sobre a parceria com sua esposa, Deborah Secco em casa.  

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Nos conte um pouco sobre o seu personagem?

“Para mim, de cara é maravilhoso. É uma realização de um sonho antigo. O Daniel é um professor de Muay Thai, trabalha em uma ONG com o Madureira, que para ele é como se fosse um irmão mais velho.

É Deus no céu e o Madureira na terra. É um cara que nasceu na zona sul do Rio, em Ipanema e aconteceram alguns conflitos familiares na vida dele, que fizeram com que ele saísse de lá e encontrasse o propósito da vida dele, que é ajudar crianças carentes com o esporte. É um cara que se aproxima muito de mim, eu me identifico muito. Eu sai de Salvador, vim para o Rio com um propósito, que era viver da minha arte.”

A relação com o esporte você também se identifica?

“Com o esporte também, eu sempre me mexi. Há três meses atrás eu comecei a fazer Muay Thai e me apaixonei, é uma zona de conforto para mim trabalhar com o esporte, trabalhar com o meu corpo. Eu me apaixonei, realmente.”

Família

O legal dessa Malhação é que quase todos os atores têm tipo um coaching profissional dentro de casa. A Giulia tem a Lilia Cabral, você tem a Deborah. Como é isso para você?

“A gente conversa muito, o Pedrinho Novaes também vem com esse carinho. Ele ainda parece com o Marcelo e a Letícia, isso deve ser muito difícil. Mas eu acho que a gente tem que trabalhar o dobro. Porque quando o estúdio fecha, só tem eu, a câmera e o diretor. Não tem a Deborah, não tem a Letícia, não tem a Lília com a Giulia. A gente se reconheceu muito nesse lugar de ter que provar sempre para todo mundo, até para a gente, porque é tanta crítica.”

Você pensou em desistir?

“Todo dia. Por esse peso e porque eu já tentei desistir, eu sempre penso também em outra coisa que me deixa feliz fazer. Mas eu sempre faço outra coisa pensando que eu poderia estar montando uma peça, pensando que eu poderia fazer um outro personagem na TV. Então eu não consigo desistir. Se eu for fazer outro personagem depois de Malhação, zera tudo de novo, a batalha é diária.”

Paternidade

Como é que está a paternidade?

“A gente tem muito medo de alguma forma afunilar a profissão dela, influenciar demais. É impossível a gente não influenciar, porque a gente vive disso. Mas a gente tenta não afunilar.”

Comparando com o seu último personagem, você acha que esse vai ser um avanço maior?

“Eu acho que o Daniel é mais desafiador. É uma rotina mais pesada, é um físico mais pesado. Eu vou gravar muito mais, então eu acho que por causa dessa rotina mais pesada do que Segundo Sol, talvez fique mais difícil.”

Sua vida virou de cabeça para baixo, porque uma hora você estava tentando como todo mundo, depois fez uma peça, casou, teve uma filha e teve essa superexposição. Como é isso para você?

“Isso é muito louco e muito difícil de administrar. Eu tenho certeza que eu ou teria feito algo muito ruim comigo ou desistiria se eu não tivesse feito uma terapia. Eu já fazia terapia antes e continuei até mais, porque tem uma hora que você não sabe mais se é você que está falando ou se é as pessoas. Mas em Salvador eu era fotografo, engenheiro, tinha uma outra vida.

Quando eu comecei a fazer peças e eu fiz sete peças antes de fazer Segundo Sol, foi como todo mundo, eu estava batalhando como todo mundo. Paguei muito para trabalhar, fiz peças que eu não ganhava nada. E quando aconteceu essa virada de chave na vida profissional e pessoal. Até hoje eu não respirei, até hoje estou tomando um folego, mas espero que nunca respire, que continue assim.”

Complicações

Mas em algum momento foi complicado?

“Todos os dias é complicado. Eu sou um cara super extrovertido, não sou um cara reservado. Mas quando eu vejo alguma coisa muito exposta, por exemplo, quando a minha filha nasceu saíram algumas notícias que eu não gostei, então isso foi muito difícil.”

E como é o contato com a sua família que é de outro estado?

“A gente tenta o tempo inteiro, páscoa ou datas comemorativas a gente sempre tenta trazer eles para cá ou eu vou para lá com a Maria. Às vezes é muito difícil, a gente passa muito tempo sem se ver. Minha mãe sente muito, meu pai sente muito, o meu padrasto e todo mundo. Mas a gente tem uma casa lá, então qualquer liberação a gente vai para lá.”

Esse seu novo visual foi uma decisão sua ou da novela?

“Foi uma decisão conjunta, né? A gente sempre cria junto com a caracterização.”

*Entrevista feita pelo jornalista André Romano.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio