No dia deles, relembre os feirantes das novelas

Publicado há 3 anos
Por João Paulo Reis
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Nesta sexta-feira (25) é comemorado o Dia do Feirante. O comerciante que vende seus produtos em estruturas simples, como barracas sempre esteve presente na sociedade até mesmo antes de Cristo. O dia 25 de Agosto foi a data escolhida para comemorar o dia do feirante, pois foi nessa data em 1914 que o então prefeito de São Paulo, Washington Luis regularizou a situação das feiras livres no país. Diversos feirantes já deram as caras na nossa teledramaturgia. Relembre:

Leia também: Mesmo desgastado, MasterChef ainda é bom negócio para a Band

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Zé da Feira (Eri Johnson) em Duas Caras (Divulgação/ TV Globo)

Zé da Feira

Personagem de Eri Johnson na novela Duas Caras, Zé da Feira, como o próprio nome diz era feirante e pagodeiro. Casado com Amélia (Josie Antello), o rapaz abusava de bebidas alcoólicas dando trabalho à esposa, que estava sempre pronta para o ajudar e curar suas ressacas. Na trama de Aguinaldo Silva, ele se tornou um pagodeiro famosos após ser descoberto por um produtor musical.

Paco (Reynaldo Giannecchini) e Preta (Taís Araújo) em Da Cor do Pecado (Divulgação/ TV Globo)

Preta

No início da novela Da Cor do Pecado, Preta (Tais Araújo) morava em São Luís do Maranhão, e era uma feirante que vendia artesanatos em sua barraca.  A moça deixou a cidade, mas continuou investindo em suas obras no Rio de Janeiro.

Eliane Giardini (Divulgação/TV Globo)

Muricy

Em Avenida Brasil, Muricy (Eliane Giardini) parou de trabalhar quando seu filho Tufão (Murilo Benício) enriqueceu e passou a sustentar toda a família, mas antes disso a matriarca deu duro numa feira de camelôs, fato que foi lembrado por Carminha (Adriana Esteves) em uma de suas brigas.

Candê (Vera Holtz) em Passione (Divulgação/ TV Globo)

Candê

Considerada a Rainha do Ceagesp (Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo), Dona Candê (Vera Holtz) de Passione, era uma das melhores vendedoras de frutas e legumes do local. Mãe de Felícia (Larissa Maciel) e Fred (Reynaldo Gianecchini), era divertida, despachada e adorada pelos vizinhos, e pela neta Fátima (Bianca Bin), que criou como filha.

Tainha (Rodrigo Faro) em O Profeta (Divulgação)

Tainha

Na novela O Profeta, Tainha (Rodrigo Faro), era um feirante que passava os dias em sua barraca de peixes e morria de vergonha da profissão. Sem modos, e sem educação, passava perfume o tempo todo para esconder dos amigos o cheiro de peixe. Passou a ser ajudado por Teresa (Paula Burlamaqui), que lhe ensinou as boas maneiras.

Tony Ramos e Georgiana Góes em A Próxima Vítima (Divulgação)

Juca

Em A Próxima Vítima, Juca (Tony Ramos) era um homem bondoso e romântico que trabalhava numa feira de frutas em São Paulo. Rejeitado por Ana (Susana Vieira), ele começou a ter interesse amoroso em Helena (Nathália do Valle), a quem chamava de “bonitona do Morumbi”.

Nair Bello e Marcos Pasquim como Pierina e Van Damme (Divulgação/ TV Globo)

Pierina

Na novela Uga Uga, Pierina (Nair Bello) era uma feirante que passava os seus dias mal-humorada. Desbocada, ela sabia exatamente como manipular os filhos Van Damme (Marcos Pasquim) e Bernardo Baldochi (Humberto Martins) com chantagens emocionais.

Apolo (Malvino Salvador) e Tancinha (Mariana Ximenes) em Haja Coração (Divulgação/ TV Globo)

Aldonza e Tancinha

Na novela Sassaricando, Aldonza (Lolita Rodrigues) era uma feirante batalhadora e otimista que criava sozinha os filhos e contava com a ajuda de Tancinha (Claudia Raia) na feira vendendo frutas e verduras. Na releitura da trama, Haja Coração, Tancinha (Mariana Ximenes) adorava trabalhar com a mãe Francesca (Marisa Orth) em sua barraca de feira.

Dona Xepa (Angela Leal) em Dona Xepa (Divulgação)

Dona Xepa

Na novela Dona Xepa, a personagem principal vivida por Angela Leal, era uma humilde feirante que ganhou este apelido por dar aos pobres os alimentos que sobravam no final da feira. Seu maior sonho era ver os filhos crescerem na vida e não media esforços para isso, embora eles se envergonhassem da profissão da mãe.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregar mais