No Brasil Urgente, Bolsonaro chama Dória de “canalha”, “moleque” e “calcinha apertada”

O presidente fez várias acusações contra o governador de São Paulo

Publicado há uma hora
Por Henrique Carlos
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Durante o Brasil Urgente na tarde desta sexta-feira (15), José Luiz Datena conversou com o presidente Jair Bolsonaro e falou sobre a crise no sistema de saúde em Manaus, por conta da pandemia de coronavírus. Além disso, eles também falaram sobre as polêmicas com João Dória, governador de São Paulo.

A princípio, Bolsonaro começou falando sobre o que tinha feito em relação a falta de oxigênio em Manaus, mas não perdeu tempo em cutucar Dória. “Agora esse discursinho do governador de São Paulo, que aumenta assustadoramente o icms praticamente de tudo, inclusive planos de saúde, não tem moral para falar de ninguém”, afirmou.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Logo depois, o presidente disse que não quer entrar em polêmica com João Dória. “Esse cara se elegeu com meu nome, não deu dois meses e começou a me atacar de olho na cadeira presidencial”, continuou. Ele ainda falou sobre a construção de hospitais de campanha e voltou a detonar o governador.

“Um dos estados que tem mais infectados, é o de São Paulo. Eu sei que aí também tem o maior número de habitantes, mas é o estado de São Paulo. Ele quer jogar a responsa para cima de mim? Será que ele tem coragem moral… Porque homem ele não é, esse pilantra aí não é homem… Tem coragem moral, de criticar o STF?”, disse o presidente, que ainda chamou Dória de moleque.

O presidente ainda falou sobre a vacina coronavac e disse que Dória estava tentando forçar a vacinação, mas voltou a defender a hidroxicloroquina e ivermectina no combate a covid-19. “Se o João Dória tivesse o mínimo de vergonha na cara, esse calcinha apertada, ele falaria que o Supremo Tribunal Federal me tirou de combate para as ações contra a covid. Eu agora sim, mereço um processo de impeachment, porque estou ajudando o estado do Amazonas e estou proibido de agir”, disse o presidente.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio