No ar em Fina Estampa, Rafael Zulu comenta rótulo de galã na TV

O ator está para completar 20 anos de carreira

Publicado há 4 meses
Por Henrique Carlos
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Com quase 20 anos de carreira e dezenas de trabalhos na televisão, teatro e cinema, Rafael Zulu, que está no ar na reprise de Fina Estampa, conta que trocou a profissão em telecomunicação para investir na carreira artística.

“O sonho de ser artista sempre existiu dentro de mim”, recorda ele, que nasceu em uma comunidade no Rio de Janeiro, dizendo que atualmente o acesso cultural é muito maior. Durante as atuações na TV, ele revela ter sentido muito incômodo ao ler a descrição de cada personagem na sinopse da novela.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

“Em um universo de 60 personagens numa trama tem 4 ou 5 negros e, especificamente, colocam ‘negro’”, pontua, contando ainda que artistas brancos não tinham a cor da pele mencionada entre as características. 

“Quando você tem o perfil que intitulam como galã colocam alguns adjetivos como ‘bonito’ e ‘charmoso’, que no início é até legal de ler, mas com o passar dos anos você percebe que é literalmente um rótulo e, normalmente, associado à questão sexual, do corpo. Depois de muitos anos eu fui entendendo e não querendo. Na televisão eu era convidado para os meus personagens pelo meu corpo, pela minha cor e aí dentro disso existe uma história muito maior. Fui e venho driblando essas coisas”, declara. 

Rafael Zulu pondera também que a televisão não é ocupada verdadeiramente por pessoas negras. “Da mesma maneira que eu não tinha referência há 17 anos, as crianças de hoje seguem tendo poucas”. A entrevista completa irá ao ar no Trace Trends desta terça-feira (28), às 22h30, na RedeTV!.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio