No Altas Horas, Marcelo Dourado reclama do rótulo de ‘ex-BBB’: “Tenta limitar nossa existência”

Publicado há 2 anos
Por João Paulo Reis
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

No programa Altas Horas deste sábado (05), Serginho Groisman recebeu alguns dos vencedores do Big Brother Brasil. Entre eles estava Marcelo Dourado, vencedor da décima edição do reality. Hoje com 46 anos, Dourado participou pela primeira vez do BBB em 2004, e relatou que se sentiu mal compreendido ao deixar o confinamento.

“Em 2004, eu parecia mais um índio louco vindo do interior do Rio Grande do Sul, pelo meu visual. Eu não sabia o que estava fazendo lá e me perdi um pouco. Aprendi que existem maneiras e maneiras de se falar as coisas. Da primeira vez eu falava as coisas da minha maneira e não fui compreendido. Da segunda vez, eu tentei mudar e ainda assim acho que não fui bem compreendido. Quando vejo agora minhas imagens daquela época, me dá pavor de tudo”.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Leia também: Aquaman se torna o filme com a maior bilheteria dos Mundos da DC

Julgamentos

“Eu me sentia uma rocha no meio de um oceano. As ondas batendo e dizendo que eu era de uma maneira, e chegou uma hora que me perdi. Que eu não sabia mais como eu era” explicou ele que considerou uma volta por cima sua vitória em 2010. Marcelo contou que se inscreveu no Big Brother por influência de um professor de luta após vencer seu primeiro campeonato de Vale Tudo. Sobre os julgamentos sofridos dentro da casa, Diego Alemão, vencedor do BBB7 também opinou: “Eu tenho 37 anos e ainda sou julgado por aqueles três meses que passei dentro da casa do BBB”.

“O título ex-BBB é colocado de uma maneira pejorativa. Tenta limitar nossa existência a isso. Temos uma vida fora aquilo lá. Meu barato quando saí era buscar minha identidade aqui fora como a Sabrina e a Grazi conseguiram. Por que é que ninguém se refere a elas como ex-BBB’s? Porque elas tiveram o sucesso da mídia, e aí as pessoas acham que por isso elas têm o sucesso profissional, mas o sucesso profissional também se dá em outras áreas. O Rafinha por exemplo é tatuador… Para mim ser ex-BBB não ajuda. Para mim atrapalha”, finalizou o ex-lutador.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregar mais