No Altas Horas, Kleber Bambam desabafa sobre “cultura do cancelamento” dos BBB’s atuais: “Eu não concordo”

O fisiculturista embolsou meio milhão de reais na grande final

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Kleber Bambam, o primeiro vencedor do primeiro Big Brother Brasil, foi um dos convidados do Altas Horas deste sábado, dia 10, e traçou um paralelo entre as primeiras temporadas do reality com as últimas. “Foi o Big Brother raiz. Agora existe o cancelamento, né? Na minha época não tinha Instagram e nada disso. Eu sou da época old school“, lembra ele, que embolsou o prêmio de meio milhão de reais.

Bambam também relembrou da parceria com a sua melhor amiga no programa: a boneca Maria Eugênia. “Hoje acho que seria diferente. Uma coisa que você faz ruim lá dentro e viralizar aqui fora, a Internet tem força de te colocar como vilão. E isso eu não concordo. Porque uma atitude sua não faz a sua história de 15 ou 20 anos. Eu tinha 24 anos na época. E, hoje, eu creio que a Internet tem esse impulsionamento“, diz.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A frase “Faz parte” estava sempre na ponta da língua do brother e pontuava as conversas dele no confinamento. Não à toa, foi reproduzida por Pedro Bial, na época apresentador da atração, ao longo da edição.

Sempre usei o faz parte na minha vida, e após ter virado fisiculturista e participado de competições pelo Brasil e pelo mundo, o bordão passou a ter mais sentido. Faz parte ganhar e perder.”

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio