Nesse Dia dos Pais, mate a saudade da novela Pai Herói

Publicado há 3 anos
Por João Paulo Reis
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

No ano de 1979, a novela Pai Herói, exibida na faixa das 20h na Globo, fez um enorme sucesso gerando no ano seguinte um verdadeiro boom de crianças registradas com os nomes dos personagens principais: André (Tony Ramos) e Carina (Elizabeth Savalla). Escrita por Janete Clair, a trama foi inicialmente formulada para ser um longa-metragem. Adaptada da radionovela Um Estranho na Terra de Ninguém, veiculada pela Rádio Nacional do Rio de Janeiro, ela foi colocada ao ar às pressas, após Lauro César Muniz que iria escrever uma novela, ficar doente e impossibilitado de escrever. Janete Clair então apresentou o projeto de Pai Herói.

Leia também: Drica Moraes enfrenta mais um grande desafio em A Fórmula

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Sua história girava em torno de André, homem criado pelo avô na pequena cidade de Paço Alegre em Minas Gerais. Ele cresceu acreditando que seu pai havia sido um grande homem, e após a morte do avô, resolve ir para o Rio de Janeiro saber detalhes sobre as circunstâncias do falecimento do pai, Malta (Lima Duarte). Ao chegar na cidade grande, André descobre que o pai era considerado traficante, acusado de ter roubado as terras de um homem e assassinado um padre chamado Nicolau, que se transformou numa espécie de santo para a população local.

André (Tony Ramos) e seu avô (Lima Duarte) em Pai Herói

O protagonista passou a ter como objetivo inocentar o pai, e provar que ele era realmente um herói diferente da imagem propagada, e começa a desconfiar que Bruno (Paulo Autran), ex-sócio de seu pai e seu atual padrasto, era o responsável pelo desaparecimento de seu progenitor. Depois de descobrir que Bruno tinha negócios escusos, André foi impedido de ver sua mãe, e conheceu Ana Preta (Glória Menezes), a sofrida dona de uma casa de samba na Baixada Fluminense. Completando o triângulo amoroso, ele conhece Carina, uma bailarina de sucesso, pertencente à alta sociedade carioca, e se apaixona por ela. A moça é casada com seu tio César (Carlos Zara), que interessado em seu dinheiro, fica obcecado por ela.

Depois de enfrentar Bruno e temendo a possessividade de César, Carina e André se casam em Bariloche onde ela passa a morar escondida, e dá ao novo marido poderes na empresa da qual é dona. César então descobre seu paradeiro e manda um bandido atirar nela, fazendo-a acreditar que o atentado foi encomendado por André. Em sua última semana, a novela utilizou o recurso do “Quem Matou” para que fosse desvendada a morte de César.

Inicialmente a novela se chamaria André de La Mancha, depois André Cajarama, até que a direção da Globo optou pelo nome Pai Herói. Para divulgar os momentos finais da trama, foram distribuídos no Dia dos Pais de 1979 em shoppings das grandes cidades, quebra-cabeças iguais aos que apareciam na abertura, que tinha como tema a música Pai, sucesso que alavancou a carreira de Fábio Jr. Vendida para diversos países, Pai Herói foi reprisada entre 2016 e 2017 pelo Canal Viva.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregar mais