Motorola e Discovery lançam reality show que desafia três pessoas a ficarem desconectadas durante dois dias

Publicado há 2 anos
Por João Paulo Reis
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Além de suas últimas estreias, o Discovery apresenta uma nova série. Dessa vez em parceria com a Motorola, Desconectados – Um Desafio Motorola. Um reality show sobre três personagens. Uma argentina, um brasileiro e uma mexicana. Eles são desafiados a viverem dois dias sem seus smartphones e conexão à Internet. E precisam cumprir de maneira analógica todos os compromissos da rotina diária. O programa vai ao ar no dia 27 de março, às 23h40, no Discovery.

Com meia-hora de duração, o reality acompanha dois dias dos seus personagens. Macarena Fuentes, uma bailarina argentina de 30 anos, que confessa usar bastante o celular para aulas de dança. Como despertador, agenda, entretenimento e, ainda, se informar de futuras audições. Para Gema Kareh, uma wedding plannermexicana de 49 anos, o celular é importante no agendamento de reuniões com noivas que a contrata. Fazer compras, solicitar e compartilhar orçamentos. E, também, para mover-se pela cidade com o GPS. Já para o carioca Victor Cerqueira, de apenas 20 anos, que não sabe o que é viver sem conexão, o celular é usado em seu trabalho em uma produtora de audiovisual, durante o dia, além do estudo. E para falar com seus amigos e paqueras.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Especialistas

Também conta com a participação especial dos neurocientistas Andrés Rieznik e María Eugenia López, que no decorrer do programa, fazem análises e apontam conceitos que nos ajudam a compreender as reações dos participantes durante seus períodos de desconexão.

O desafio surgiu como parte da campanha Phone-Life Balance, plataforma global da Motorola que incentiva o uso inteligente e equilibrado do smartphone e da tecnologia. A iniciativa Phone-Life Balance foi lançada com um estudo mundial realizado a pedido da Motorola, em parceria com a Dra. Nancy Etcoff. Ela é especialista em Comportamento Mente-Cérebro e Ciência da Felicidade pela Universidade de Harvard, além de psicóloga do Departamento de Psiquiatria do Hospital Geral de Massachusetts. O objetivo foi investigar comportamentos e hábitos de utilização do celular em diferentes gerações. E assim entender o impacto do smartphone nas relações do usuário com outras pessoas e com o ambiente físico e social.

Phone-Life Balance

“Como criadores do primeiro telefone celular da história, nos sentimos responsáveis por esta reflexão. Por meio do conceito Phone-Life Balance, queremos que os usuários usufruam dos benefícios desta tecnologia. Mas sem que ele se torne o centro de suas vidas. Nossa proposta é que a partir de um uso mais equilibrado do smartphone, todos possam se reconectar com o que mais importa para cada um”, comenta Renata Altenfelder, diretora global de Brand marketing da Motorola.

Rieznik, que também é doutor em física, alerta. “Algo que se passa com todos nós quando usamos o celular é que deixamos de exercitar partes do cérebro que antes utilizávamos mais frequentemente. Como por exemplo o senso de direção e navegação”. O neurocientista destaca que ainda há muitas coisas que atualmente podem ser feitas sem nosso celular. “Este experimento social também demonstra que o fato de estar desconectado nos permite nos reconectarmos com nosso entorno. E com as pessoas à nossa volta. A questão é chegar a um ponto razoável para não fugir dos benefícios do contato interpessoal”, completa Rieznik.

Desconectados – Um Desafio Motorola convida a reflexão em encontrar um melhor equilíbrio e desfrutar da vida real e as reações interpessoais. E ainda as vantagens de estar conectado digitalmente e poder usar os smartphones para realizar algumas atividades. Sejam elas transações bancárias, comprar online, estudar, comunicar-se à distância. E até começar novos relacionamentos.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio