Luto

Morre o ator Paulo Gustavo, aos 42 anos, vítima de covid-19

O artista lutava contra a Covid-19 desde o dia 13 de março

Publicado em 04/05/2021

Internado desde o dia 13 de março no Rio de Janeiro, o ator Paulo Gustavo teve morte cerebral nesta terça-feira, dia 4, após lutar contra a Covid-19. O artista estava na UTI do hospital Copa Star, por conta de complicações da doença. Na segunda-feira, 3 de maio, a equipe médica do ator disse que ele teve uma embolia, insuficiência cardíaca e lesões cerebrais devido à uma abertura entre os pulmões e as veias – o que torna a situação mais grave. “Depois de alguma melhora, Paulo Gustavo subitamente piorou no dia de ontem”, dizia a nota.

No mês passado os médicos informaram que tinham detectado uma fístula, mas que o segmento responsável havia sido fechado por via endoscópica e seu quadro geral era estável. No entanto, um boletim médico divulgado poucas horas depois, disse que o artista teve uma piora no quadro de saúde. “a situação é crítica”, “fístulas bronco-pleurais identificadas e tratadas somaram-se a complicações hemorrágicas”, disseram.

Gustavo passava há alguns dias pelo tratamento por ECMO, sigla em inglês para “oxigenação por membrana extracorporal”, tipo de terapia intensiva usada em estado grave de Covid-19. Paulo Gustavo era casado com Thales Bretas desde 2015 e também deixa dois filhos, Gael e Romeu.

Nota sobre o falecimento de Paulo Gustavo enviado ao portal UOL:

“Às 21h12 desta terça-feira, 04/05, lamentavelmente o paciente Paulo Gustavo Monteiro faleceu, vítima da covid-19 e suas complicações. Em todos os momentos de sua internação, tanto o paciente quanto os seus familiares e amigos próximos tiveram condutas irretocáveis, transmitindo confiança na equipe médica e nos demais profissionais que participaram de seu tratamento”, diz a nota.

A equipe profissional que participou de seu tratamento está profundamente consternada e solidária ao sofrimento de todos”, acrescenta o comunicado. No hospital, o humorista ficou em estado grave e foi tratado com ECMO, uma espécie de pulmão artificial.

Ontem, ele teve fístulas que causaram o vazamento de ar do pulmão e desencadearam uma embolia gasosa — quando vasos sanguíneos são obstruídos por bolhas de ar. O boletim de ontem indicava que a situação clínica era “instável e de extrema gravidade”. Hoje, mais cedo, a equipe do humorista informou que o quadro era “irreversível”.